Duas pessoas morrem afogadas na praia de Boa Viagem na noite da terça

As vítimas realizavam uma atividade de recreação do Centro de Atenção Psicossocial da Prefeitura do Recife (Caps), quando resolveram tomar banho de mar e se afogaram em Boa Viagem

ZONA SUL

Rádio Jornal

Foto: Malu Silveira/NE10

Dois pacientes do Centro de Atenção Psicossocial da Prefeitura do Recife (Caps) morreram afogados durante um banho de mar nas proximidades do Posto 5 de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, na noite dessa terça-feira (8). De acordo com testemunhas, por volta das 20h, Paulo Henrique do Nascimento, 32 anos e André Luís da Silva, 41 anos, realizavam atividades de recreação no local, quando um deles resolveu tomar um banho de mar, quando começou a se afogar. O outro, tentando salvá-lo, acabou se afogando também.

Ambas as vítimas eram usuários de drogas e realizavam, por volta das 21h, uma atividade terapêutica de integração, realizada pelo Caps para a troca de experiências. Foi pedido socorro ao Posto 5, que fez o atendimento inicial de resgate. Um dos homens foi resgatado com vida, mas, inconsciente, morreu em seguida. De acordo com comerciantes e banhistas, afogamentos são comuns no trecho, por causa de um buraco entre os arrecifes de coral, principalmente quando a maré está cheia.

» Duas pessoas morrem afogadas, neste feriado, na praia do Pina
» Corpo de segunda vítima de afogamento no Pina é retirado do mar

As vítimas foram encontradas por mergulhadores do Corpo de Bombeiros e o caso foi registrado na Delegacia de Boa Viagem. Por volta das 23h, os corpos foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife. Os dois homens serão enterrados ainda nesta quarta-feira (9), no Cemitério de Casa Amarela, Zona Norte do Recife.

No último dia 12, outras duas pessoas também morreram afogadas em Boa Viagem. Genilson Lucas de Morais, 49, entrou na água para resgatar o filho, Genilson Lucas Ramos de Morais, 20 anos, e ambos acabaram morrendo. O acidente ocorreu por volta das 10h30 e corpo do filho continuou desaparecido até à tarde, mas foi resgatado pela população, na praia do Pina.

Foto: Clarissa Siqueira/Rádio Jornal

 

ESCLARECIMENTO

Em nota, a Coordenação de Saúde Mental da Secretaria de Saúde do Recife lamentou o ocorrido e informou que está "tomando as providências para apurar e tomar as medidas necessárias diante do acontecido, bem como prestando assistências às famílias envolvidas e demais usuários das unidades de acolhimento". No momento do afogamento, estavam presentes, além dos integrantes do Caps, um prisólogo e três educadores sociais, que  de imediato acionaram o Corpo de Bombeiros e o Samu.

A coordenação também afirmou que "as atividades lúdicas e de lazer de forma coletiva, terapêuticas, são amplamente utilizadas no cuidado às pessoas que fazem uso de drogas, visando ampliar a qualidade de vida e reinserção social, sempre com o acompanhamento da equipe técnica qualificada.

Os usuários dessas unidades de acolhimento são adultos e apresentam autonomia na condução de seus atos, sendo um serviço de caráter residencial transitório que visa possibilitar o exercício de estratégias de convivência e qualidade de vida para além das drogas, previstas em legislação que direciona o modelo assistencial de saúde mental".

TAGS

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

CONTINUE LENDO