BRASÍLIA

Governadores se reúnem com presidente e ministro da Fazenda

Governo Federal vai apresentar uma ajuda a governadores para cobrir a folha de pagamento de novembro e dezembro

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 22/11/2016 às 15:39
Leitura:
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

O governador Paulo Câmara está em Brasília para participar de uma reunião com o presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Nesse encontro, o presidente vai apresentar uma ajuda a todos os governadores para cobrir a folha de pagamento de novembro e dezembro.

No entanto, essa ajuda tem uma exigência. Os governos estaduais precisam fazer cortes nos gastos, não apenas na parte dos investimentos, mas também na parte do gasto de custeio, como pagamento de salário e pagamento de viagens.

Nessas duas pontes, o presidente Michel Temer também vai adiantar que o Palácio do Planalto vai dar todo apoio a uma proposta que deve começar a ser votada nesta terça-feira (22) No Senado Federal, que foi apresentada por Renan Calheiros (PMDB).

A proposta de Renan é que seja reaberto o prazo para que os recursos de brasileiros que estão no exterior sejam repatriados para o Brasil. Na primeira leva, que terminou no dia 31 de outubro, houve repasse de verbas para os governos estaduais justamente com base na arrecadação de tributos, 15%, e também na arrecadação de multas, outros 15%.

Nesse projeto de Renan, a alíquota das multas e dos juros pulam para 17,5% e parte desses recursos também vai ser destinada aos governos estaduais.

Confira os detalhes na reportagem de Romoaldo de Souza:

Inquérito no STF

A lista de gestores investigados pelo Supremo Tribunal Federal ganhou quatro nomes pernambucanos de peso. Além do governador de Pernambuco Paulo Câmara, o prefeito do Recife Geraldo Julio, o senador Fernando Bezerra Coelho e o deputado Tadeu Alencar engrossam a relação. Todos eles são do PSB.

O ministro Teori Zavaski do Supremo Tribunal Federal pediu uma justificativa do Procurador Geral da República e Rodrigo Janot disse que era para facilitar o trabalho de coleta de depoimentos, por isso Janot gostaria que esse processo estivesse todo ele no Supremo Tribunal Federal (STF).

O procurador quis evitar que houvesse a tomada de depoimento no Superior Tribunal de Justiça, onde Paulo Câmara é investigado, e no STF, onde são investigados o deputado Tadeu Alencar e o senador Fernando Bezerra Coelho. Todos são do PSB.

Na próxima semana, o ministro Teori vai autorizar juntar esse processo, vai encaminhar todas as investigações para o STF e também vai tirar o segredo que tem até aqui nas investigações por causa da operação Fair Play juntada com as investigações da Lava Jato.

Mais Lidas