TERRA ARRASADA

Empresa é investigada por desviar verbas em Ribeirão, na Mata Sul

De acordo com o MPPE, todos os contratos firmados pela RU Veras Transportes, alvo da Operação Terra Arrasada 2 ,serão investigados em outros municípios

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 05/12/2016 às 15:28
Leitura:
Foto: Reprodução/Jornal do Commercio


A segunda fase da Operação Terra Arrasada, coordenada pelo Grupo de Atuação de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), do Ministério Público de Pernambuco e da Polícia Civil prendeu no dia 1º de dezembro, o prefeito de Ribeirão, na Zona da Mata Sul, dois secretários, dois servidores municipais e dois moradores de Ribeirão envolvidos no esquema.

Eles estão ligados num esquema de desvio de verbas públicas, em um contrato com a empresa RU Veras Transportes, na qual foi contratada para realizar a coleta de lixo do município e recontratação caçambeiros para efetuar o serviço por 50% do contrato. A apuração do MPPE encontrou repasses fraudulentos de pelo menos R$5 milhões entre os anos de 2015 e 2016.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

A empresa de Romero Urquisa Veras é responsável também pelo transporte escolar e de pacientes fora do domicílio.

A própria R U Transportes recebeu repasse no valor de R$300 mil de uma empresa investigada na Operação Turbulência, uma fase da Lava Jato em PE e está relação está sendo aprofundada pelo GAECO.

A Polícia Civil, que ajudou a prender o prefeito, Romeu Jacobina, os secretários Hercílio Castanha Ferraz e Paula Patrício de Lima, Maria José dos Santos, Edson Soares de Lima, José Adelson Marques e o empresário dono da R U transportes, já atuou em outras sete prefeituras com irregularidades neste ano.

De acordo com o MPPE, todos os contratos firmados pela empresa alvo da Operação Terra Arrasada 2 em diversos outros municípios serão investigados.

Mais Lidas