DECISÃO DO SUPREMO

Por seis votos a três, STF mantém Renan na presidência do Senado

STF retirou Renan Calheiros da linha sucessória à presidência da República porque é réu no crime de peculato, crime que motivou a liminar

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 07/12/2016 às 17:51
Leitura:
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou pela permanência de Renan Calheiros na presidência do Senado, na tarde desta quarta-feira (7). A vitória de Renan Calheiros se deu por seis votos a três sob a justificativa dos ministros de que isso, o afastamento dele, poderia causar uma crise institucional.

No entanto, Renan Calheiros foi tirado pelo STF da linha sucessória à presidência da República porque é réu no crime de peculato, que é quando alguém se apropria de recursos públicos em benefício próprio.

O ministro Marco Aurélio, relator da liminar, disse que Renan continuará “todo poderoso”. Segundo ele, o presidente do Senado peitou o STF, colocou em risco as instituições e vai continuar sendo o todo poderoso.

Confira outros detalhes na reportagem de Romoaldo de Souza:

Votaram pelo afastamento de Renan do cargo o relator, Marco Aurélio, e os ministros Edson Fachin e Rosa Weber. Celso de Mello, Dias Toffoli, Teori Zavascki, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski e a presidente, Cármen Lúcia, foram contra o afastamento.

Mais Lidas