DESRESPEITO

Atendimento no Expresso Cidadão de Olinda ainda não foi normalizado

Caixas dos Bancos do Brasil e Bradesco localizados no Expresso Cidadão foram alvo de explosões nesta quarta-feira (7)

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 08/12/2016 às 14:20
Leitura:
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal


Centenas de pessoas foram até o Centro da Moda, onde funciona o Expresso Cidadão, de Peixinhos, na Região Metropolitana do Recife e perderam a viagem, nesta quinta-feira (8).

A promessa de retorno das atividades, um dia após homens explodirem o caixa eletrônico do Banco do Brasil e danificarem o do Bradesco, fez com que muitas pessoas acordassem cedo para resolver pendências no local.

A dona de casa Edivânia do Nascimento tentou ser recebida na Secretaria de Defesa Social para ajustar um dado errado da carteira de identidade da mãe.

O documento foi negado pelo Hospital do Câncer durante o pedido de uma cirurgia de retirada de cisto nos seios, marcada para esta sexta-feira (9). “Minha mãe está precisando fazer essa cirurgia já faz três anos e amanhã está marcada, mas não conseguiu por conta de um erro aqui do Expresso Cidadão”, reclamou a mulher.

Confira os detalhes na reportaem de Rafael Carneiro:

O técnico em segurança, Teófito Cristo, voltou ao local pela terceira vez para dar entrada na segunda via do documento. “Viagem perdida e a promessa de um reagendamento para que as pessoas sejam atendidas”, indignou-se o cliente.

Além deste serviço, Detran, Receita Federal, TRE, Procon, Celpe, Compesa e Agência do Trabalho, suspenderam as atividades devido ao forte cheiro deixado pela explosão dos equipamentos.

Respostas

De acordo com a Secretaria de Administração do estado, os caixas eletrônicos começaram a ser retirados para aliviar o forte odor provocado pelos produtos químicos usados na explosão.

Em nota, a gerente executiva do Expresso Cidadão, Flávia Lebre, contou que a situação será reavaliada e os atendimentos serão retomados assim que o ambiente estiver propício para funcionários e o público.

Mais Lidas