SEQUESTRO

“Criminosos queriam tocar o terror no ônibus”, diz delegado

A polícia cumpriu um mandado de prisão temporária pelo envolvimento em um sequestro a um ônibus da linha Pelópidas/Engenho Maranguape, na PE-15, em outubro deste ano

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 23/12/2016 às 14:43
Leitura:
Foto: Reprodução


A prisão em casa, de Paulo Cesar José e Almeida, o Bid de 25 anos, evidenciou a disputa pelo tráfico, entre grupos rivais de Maranguape II, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A polícia cumpriu um mandado de prisão temporária pelo envolvimento em um sequestro a um ônibus da linha Pelópidas/Engenho Maranguape, na PE-15, no dia 28 de outubro deste ano. Na ação, Bid que estava em liberdade condicional, e outros dois comparsas assaltaram cerca de 30 vítimas e incendiaram o veículo.

De acordo com o delegado Joel Venâncio, o crime foi organizado por Josivaldo Matias Cardoso, o Vado, de dentro do presídio de Igarassu, numa demonstração de força contra o rival, também preso na mesma unidade, Francisco Xavier Júnior, Júnior Box. “O objetivo dos criminosos era atear fogo no ônibus, chamar atenção, tocar o terror. E foi isso que eles fizeram”, revela.

Ouça os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

Na fuga, outras pessoas ajudaram na fuga dos suspeitos, inclusive Michael Bruno, assassinato pelo próprio Bid por desavenças do tráfico de drogas, foram identificados na pela investigação. No depoimento de Paulo César, ele revelou ter praticado outros quatro homicídios no Tururu, também em Paulista.

Com ele a polícia ainda apreendeu um revólver calibre 38 e seis munições, material para embalar droga, anotações do tráfico e uma moto. Ele foi autuado por roubo e tráfico qualificado, incêndio e organização criminosa. O delegado Joel Venâncio, ainda veio pedir que Vado, Josivaldo Matias Cardoso, seja transferido para um presídio federal.

Leia também:

Em apenas um dia, sete ônibus são assaltados na Região Metropolitana

Mais Lidas