DEBATE

Em balanço de mandato, Geraldo Julio adianta nomeação de concursados

O prefeito do Recife foi entrevistado por Geraldo Freire, Giovanni Sandes e Laurindo Ferreira e adiantou a nomeação de novos guardas municipais. Geraldo Julio evitou falar sobre 2018 e disse que fica no cargo até 2020

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 28/12/2016 às 11:59
Leitura:
Foto: Ashley Melo/JC Imagem


O prefeito do Recife Geraldo Julio (PSB-PE) foi o convidado do debate da Super Manhã desta quarta-feira (28). Entre planos para o mandato que começa em 2017 e um balanço do primero mandato (2013-2016), o gestor afirmou que está "lutando para manter as contas em dia" e que nem tudo que foi prometido nas eleições de 2012 foi cumprido. "É claro que não conseguimos fazer tudo o que queríamos. É um ano de crise e precisamos ser realista", diz Geraldo Julio.

Em uma conversa com muitos poréns, o prefeito do Recife abordou os temas de limpeza urbana e iluminação; saúde, gestão das contas públicas, segurança e política. Ouça a entrevista completa entre o comunicador Geraldo Freire, o jornalista Giovanni Sandes, o diretor de redação do Jornal do Commercio Laurindo Ferreira e o prefeito Geraldo Julio:

GUARDA MUNICIPAL

Sobre os concursos públicos, Geraldo Julio afirmou que está organizando a folha de pagamento da prefeitura e que deve começar a chamar os aprovados no primeiro semestre de 2017. Os primeiros devem ser os guardas municipais. A segunda turma dos aprovados deve ser chamada em janeiro.

CRISE FINANCEIRA

Repetindo o tom dos últimos debates, Geraldo Julio afirmou que a crise financeira vem penalizando o País e quem está pagando a conta são os estados e as prefeituras do Nordeste, que têm menos recursos e perderam mais empregos com a redução dos investimentos do governo federal na Região. "O que está acontecendo no Nordeste é uma hecatombe, não é uma crise financeira. O nordestino está pagando a conta", disse Geraldo Julio. "A gente está fazendo uma luta para manter as contas em dia. É desesperador o que os prefeitos estão vivendo", completou.

REFORMA ESTRUTURAL

De acordo com o gestor, a Prefeitura do Recife está produrando formas de economizar que não mexa no bolso dos funcionários ou nos serviços prestados à população. "Uma coisa que eu tenho dito sobre o Brasil é que não está na hora de reduzir direitos. A desigualdade social ainda é muito grande. O País tem que gastar menos, mas não pode economizar tirando direitos ou reduzindo serviços", disse Geraldo Julio.

Uma das formas de garantir a economia das receitas é a transformação de quatro empresas municipais em autarquias, com capacidade de gestão própria. Para ele, isso não interfere nos servidores. "Com a transformação de quatro empresas municipais em autarquias, vamos economizar R$ 40 milhões que seriam pagos em impostos para a União", completou.

SEGUNDO MANDATO

Sobre a possibilidade de se candidatar a governdor em 2018, Geraldo Julio voltou a negar essa possibilidade. "Estou ciente da minha responsabilidade. Eu fui eleito para governar de 2016 até 2020. Estou animado e motivado", disse o prefeito Geraldo Julio.

CANDIDATURA PRÓPRIA

O prefeito do Recife voltou a defender uma candidatura própria do PSB para a Presidência da República em 2018. Mas fugiu do assunto quando questionado se o partido porderia servir de "barriga de aluguel" para o governador de Saão paulo, Geraldo Alckmin, atualmente no PSDB. "Não está na hora de discutir isso", afirmou.

» De olho em 2018, Geraldo Alckmin doa bombas hidráulicas ao Nordeste
» De olho em 2018, Alckmin lança vacina contra dengue e descarta presidir PSDB

Mais Lidas