POLÍTICA

Maia não admite, mas deve ser candidato à presidência da Câmara

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que assumiu a Câmara após a renúncia de Eduardo Cunha, não quer admitir que é candidato ao mandato completo.

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 03/01/2017 às 17:28
Leitura:
Foto: Agência Brasil

No dia 1º de fevereiro está marcada a eleição para os cargos da Mesa Diretora do Senado e da Câmara Federal. Eleito presidente da Casa após a renúncia de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), não quer admitir que é candidato ao mandato completo por causa de um imbróglio jurídico, e critica a intervenção do Supremo Tribunal Federal (STF) a respeito do assunto.

Confira a reportagem do correspondente da Rádio Jornal em Brasília, Romoaldo Souza:

"Essas questões são tão internas que não deveriam ser respondidas pela própria casa e não pelo STF", opinou Maia, em entrevista à Rádio Jornal. "Eu consultei muitos juristas e não vejo do ponto de vista constitucional nenhum veto à reeleição. É sempre o problema eleitoral", acrescentou.

De acordo com informações do correspondente da Rádio Jornal em Brasília, Romoaldo Souza, além do atual presidente Rodrigo Maia, há três pré-candidatos à presidência da Câmara. São eles: Rogério Rosso (PSD-DF), Jovair Arantes (PTB-GO) e André Figueiredo (PDT-CE).

Imbróglio jurídico

A judicialização da política brasileira tem sido amplamente discutida. Muitas vezes os parlamentares acabam recorrendo para que o STF, casa responsável pela interpretação da Constituição Federal, também interprete o que deveria estar no Regimento Interno.

Em 2016, várias decisões que poderiam ter sido tomadas pelos parlamentares, acabaram nas mãos do poder judiciário. Um exemplo disso se passa neste momento nas legendas do PSOL e Rede Sustentabilidade, que recorreram ao STF questionando se Maia poderia disputar uma suposta reeleição.

Mais Lidas