ZONA DA MATA

Após 13 anos, o acusado de matar frei Luciano começa a cumprir pena

Em 2003, o frei foi empurrado de uma das torres do Convento de Nossa Senhora do Carmo, em Goiana. O caso foi classificado pela polícia como latrocínio.

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 04/01/2017 às 9:40
Leitura:

Após 13 anos, o homem condenado pelo assassinato do frei Luciano Santos, em Goiana, na Zona da Mata Norte pernambucana, começa a cumprir pena. O conselheiro tutelar à época do crime, Walter Maciel Correia, que recentemente trabalhava como técnico em refrigeração, foi preso nessa terça-feira (3). Os detalhes da investigação serão apresentados pelo delegado Thiago Uchoa ainda na manhã desta quarta-feira (4), em entrevista coletiva.

Na época do julgamento, o ex-conselheiro tutelar e responsável pela reforma do convento repetia o discurso de ser a maior vítima. Ouça:

Além de Walter Maciel Correia, o diretor de turismo da prefeitura de Goiana à época, Sérgio Aranha da Silva, também foi indiciado. Em 2013, eles foram julgados no fórum do Recife, mas somente o ex-conselheiro tutelar foi condenado a 21 anos de cárcere. O Tribunal de Justiça negou o recurso que garantia a liberdade do réu sentenciado por homicídio duplamente qualificado.

Relembre o caso

Em agosto de 2003, o frei Luciano Santos foi empurrado de uma das torres do Convento de Nossa Senhora do Carmo, em Goiana. O religioso caiu de uma altura de cinco metros. A tragédia teve repercussão nacional, principalmente pelo desfecho das investigações. A polícia classificou o caso como latrocínio – roubo seguido de morte -, já que R$ dez mil da reforma do templo sumiram.

Mais Lidas