INVESTIGAÇÕES

Polícia não confirma participação de preso na Bahia no caso Beatriz

Delegado diz que a informação até agora é de que o homem estaria preso no Piauí na época do caso Beatriz. Menina foi morta a facadas em dezembro de 2015

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 04/01/2017 às 16:51
Leitura:
Foto: Reprodução/ Facebook


A Polícia Civil da Bahia não confirma que um homem preso no Estado tenha relação com o assassinato da menina Beatriz Mota, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

De acordo com o delegado da cidade de Remanso, Rogério Sá Medrado, o suspeito, Altenor Borges de Souza, foi preso na cidade baiana por estupro e, por esse crime, foi colhido material para realizar exames de praxe.

Ainda segundo o delegado, nada foi colhido em relação ao assassinato de Beatriz Mota. As informações foram passadas ao comunicador Marco Aurélio, na Rádio Jornal Petrolina. “Até o momento, as informações que nós temos aqui é só do assalto que ele fez a uma farmácia e a um consultório odontológico. Inclusive, no assalto a farmácia, ele estuprou a atendente”, contou o delega.

Sobre o envolvimento com o caso Beatriz ele é enfático. “Até o momento isso não procede (...) As informações que nós temos é que ele se encontrava preso no Estado do Piauí na época do crime da Beatriz”, finalizou o delegado.

Ouça a entrevista:

Relembre o caso

O homicídio da menina Beatriz Mota, de sete anos, ocorreu em dezembro de 2015 durante uma festa de formatura do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina. A menina foi assassinada com 42 facadas, e o corpo foi encontrado no depósito esportivo interditado da escola. Ela havia pedido à mãe para beber água quando sumiu.

Sobre o Caso Beatriz, a Polícia Civil afirmou que a delegada Gleide Ângelo, policiais e os peritos estão trabalhando em Petrolina desde essa terça-feira (3).

Mais Lidas