PRESÍDIOS

Pedro Eurico defende prisão domiciliar para resolver superlotação

Diante da crise nacional nos presídios, secretário Pedro Eurico destaca que Pernambuco está há 90 dias sem nenhum homicídio dentro dos presídios

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 06/01/2017 às 15:04
Leitura:
Secretário Pedro Eurico
Foto: Acervo JC Imagem


Está na constituição: a responsabilidade pela segurança pública é dos Estados. Mas em virtude das recorrentes chacinas ocorridas no país, o Governo Federal tem se manifestado, com o objetivo de auxiliar na força da segurança dentro e fora dos presídios.

Com o detalhamento do o Plano de Segurança Nacional anunciado nesta sexta-feira (6) pelo ministro da Justiça Alexandre Morais, os focos vão ser homicídios, tráfico e a modernização dos presídios.

Espaços que estão cada vez mais superlotados. Por isso, a Comissão de Direitos Humanos de Pernambuco está enviando uma avaliação com uma série de medidas ao governo estadual, entre elas, a superlotação, facilitação de entrada de armas e avaliar a situação de cada preso.

Diante disso, o membro da comissão, Cesar Souza, faz uma dura crítica ao sistema penitenciário do Estado.

Confira os detalhes na reportagem de Jéssica Lima:

Presídios de Pernambuco sem mortes há 90 dias

De acordo com o secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado, Pedro Eurico, Pernambuco está há 90 dias sem nenhum homicídio dentro dos presídios. Segundo ele, uma das medidas para acabar com a insegurança e superlotação é fortalecer prisão domiciliar, a ressocialização e o aumento das audiências de custódia. "Nós temos que ter cuidado para não soltar os perigosos e temos que ter equilíbrio para não prender aqueles de pequeno potencial ofensivo", destacou.

Ouça a entrevista completa com o secretário Pedro Eurico:

Ainda de acordo com o secretário, estão sendo criados mais sete novos presídios no Estado e, com essas unidades, daqui a dois anos, Pernambuco vai ter mais seis mil vagas para minimizar a atual superlotação.

Mais Lidas