CRISE PENITENCIÁRIA

Número baixo de agentes é incapaz de barrar entrada de droga e celular

O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco, João Carvalho, falou sobre o vídeo que circula de uma festa onde reeducandas usam celulares e drogas livremente

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 10/01/2017 às 14:23
Leitura:
Imagens mostram reeducandas utilizando celular livremente
Foto: Reprodução/ TV Jornal


O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco, João Carvalho, falou sobre a situação da Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, no bairro do Engenho do Meio, na Zona Oeste do Recife. Um vídeo mostrando uma festa dentro da unidade com as mulheres utilizando celulares e drogas repercute nesta terça-feira na imprensa.

Segundo João Carvalho, o número de agentes é insuficiente para barrar a entrada e circulação dentro das unidades de drogas e aparelhos de celular. “São 691 presas e 200 vagas. Lá, a proporção é de quatro agentes penitenciárias por plantão. Infelizmente não tem como fazer certas atividades como revista, rondas dentro das unidades, revistas nas celas”, contou.

Confira os detalhes:

Acesso a celulares e drogas

Segundo João Carvalho, por conta da falta de scanner corporal e já que é proibida a revista manual, drogas e celulares acabam entrando nas unidades. “Muitas vezes esses materiais entram na parte íntima de uma mulher e também de um visitante”, denunciou o presidente.

Além disso, os materiais também são arremessados pelos muros para dentro dos presídios.

Mais Lidas