DEBATE

"Prefeitos lisos" de Olinda, São Lourenço e Tacaimbó reclamam do caixa

Novos gestores afirmam que situação nas cidades é crítica. Geraldo Freire recebeu os prefeitos Lupércio Nascimento, Bruno Pereira e Álvaro Marques

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 17/01/2017 às 11:59
Leitura:
Foto: Rafael Souza/Rádio Jornal

O debate da Super Manhã desta terça-feira (17) recebeu os novos prefeitos das cidades de Olinda, Lupércio Nascimento (SD), e de São Lourenço da Mata, Bruno Pereira (PTB), na Região Metropolitana do Recife, além de Álvaro Marques (PT), prefeito eleito em Tacaimbó, no Agreste do Estado. Em comum, os gestores afirmam que receberam as cidades em dificuldades financeiras e que a transição não foi fácil. 'Enxugar a máquina' também foi tema recorrente.

Outra curiosidade é que Lupércio, Bruno e Álvaro se elegeram usando o jingle "o povo quer o liso". Ouça o debate completo nos players abaixo:

Olinda

Em Olinda, o prefeito Lupércio Nascimento afirmou que encontrou uma situação deplorável. Segundo ele, além dos atrasos nos salários, o ex-prefeito Renildo Calheiros deixou a "cidade coberta de lixo".

Sobre o carnaval, o professor Lupércio afirmou que serão priorizados os moradores da cidade na hora da contratação de profissionais. Os contratos de patrocínio ainda não foram definidos. Nos últimos anos, uma marca de cerveja foi a principal patrocinadora da folia na cidade.

Lupércio garante que a religião dele não vai atrapalhar. "Eu sei muito bem como separar as coisas. Não vai ser agora que eu vou misturar a questão da minhã fé com o carnaval da cidade", afirma.

Sobre a segurança pública e a instalação de uma guarda municipal armada, tema sugerido pelo prefeito de São Lourenço, Lupércio afirma que não pretende instalar e sim agir de forma preventiva. "Queremos mostrar para os jovens os efeitos da maconha, do álcool, da cola, do crack e de outras drogas na vida deles, diz.

» Prefeito de Olinda sofre derrota na eleição da Presidência da Câmara
» Lupércio mantém secretarias e promete reduzir cargos comissionados

São Lourenço da Mata

Em São Lourenço, o prefeito Bruno Pereira afirmou que a folha de pagamento principalmente da educação ultrapassa os limites do municípios. "Tem professor lá que está ganhando R$ 12 mil e não pisa em sala de aula. Outro, descobrimos que mora em Gravata e vai pedir exoneração", diz Bruno Pereira.

Para o gestor, organizar e otimizar a folha de pagamento pode ser suficiente para resolver os atrasos nos pagamentos de salários da maioria dos servidores. "Estamos com atrasos das folhas de dezembro e décimo dos efetivos e aposentados, comissionados desde novembro" lamentou.

» TCE determina que ex-prefeito de São Lourenço devolva R$ 209 mil aos cofres públicos
» Prefeito eleito em São Lourenço pretende reduzir secretarias para economizar

Sobre a segurança pública, Bruna lamenta que a cidade ainda não existam guardas municipais, mas apenas funcionários comissionados. O prefeito garantiu que vai realizar um concurso público para a contratação dos servidores e quer guardas armados.

Tacaimbó

O prefeito Álvaro Marques afirmou que está "fazendo malabarismo para pagar os funcionários". Ele diz que a gestão anterior, apesar de não ter deixado salários em débito, deixou a cidade com grave problema financeiro. Álvaro diz ainda que é mais de fazer do que de falar. "A cidade estava cheia de lixo e de metralha. Eu mesmo peguei a vassoura e fui para as ruas. E não é demagogia não, o povo sabe que eu não sou disso", diz

A segurança na cidade também preocupa o novo gestor. Apenas três efetivos da Polícia Militar faz a segurança na cidade. De acordo com ele, uma equipe da Ciosac também agia na cidade, mas deixaram de realizar o serviço por que a luz do prédio onde eles ficavam foi cortada. Na semana passada, uma fuga de três detentos do presídio de segurança máxima instalado na cidade em 2016, deixou a situação de tensão da cidade ainda tensa.

» Último presidiário é recapturado após fuga em quarteto em Tacaimbó
» Três detentos são recapturados após fuga da Penitenciária de Tacaimbó

Sobre a segurança armada, Álvaro concorda com o prefeito de São Lourenço sobre a necessidade de uma guarda armada mantida pela prefeitura. "Pretendemos instalar, não a curto, mas a médio prazo", afirma.

Mais Lidas