VIOLÊNCIA

Governo diz que só houve 3 homicídios no Carnaval e oposição contesta

Dados da bancada de oposição alegam que houve um total de 85 homicídios e que foi o Carnaval mais violento em sete anos

Ismaela Silva
Ismaela Silva
Publicado em 03/03/2017 às 8:38
Leitura:

Imagem

De acordo com o balanço divulgado pelo Governo de Pernambuco através da Secretaria de Defesa Social (SDS) sobre as ações realizadas durante os Carnaval deste ano, a Região Metropolitana, onde estão os dois principais focos do Carnaval de Pernambuco (Olinda e Recife) não registrou nenhum homicídio entre 0h de sábado (25) e as 23h59 da terça-feira (28). O balanço diz ainda que houve apenas três homicídios ocorridos em focos de folia e que foram um no município de Vitória de Santo Antão e dois em Água Preta e que não tiveram relação com a festa.

» Carnaval termina com registro de sete homicídios em focos de folia

» Pernambuco registra 85 homicídios durante período carnavalesco de 2017

Por outro lado, os dados levantados pela Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) alegam que o Estado teve o Carnaval mais violento em 7 anos e acusam governo estadual de esconder os números da criminalidade. Os dados detalham que entre a sexta-feira (24) e a quarta-feira de Cinzas (1º) foram registrados cerca de 85 homicídios em Pernambuco, que representaram um crescimento de 35% em relação aos anos de 2016, fazendo de 2017 o ano com o carnaval mais violento desde 2010.

Ouça os detalhes na reportagem de Ravi Soares:

O deputado Silvio Costa Filho (PRB) associou o crescimento da violência ao que ele chama de falta de habilidade do Governo do Estado na área de segurança. “Infelizmente, vivemos este ano o carnaval do medo, com crescimento no número de homicídios, de roubos, assaltos a ônibus. E, no lugar de tratar o tema com transparência, o Governo de Pernambuco escolhe esconder os números, numa postura diferente da adotada pelos governos do PSB desde 2007", lembrou destacando que o secretário de Defesa Social, o chefe da Polícia Civil e o comando da Polícia Militar já foram trocados mais de uma vez pelo governador Paulo Câmara.

Dados da SDS

De acordo com a Secretaria de Defesa Social, os denominados Crimes Contra a Pessoa (Ameaça, Agressão e Lesão Corporal) praticamente se mantiveram estáveis nos focos de Carnaval: foram 140 ocorrências registradas em 2016 e 144 em 2017. Por outro lado, os crimes contra a administração pública (desobediência, desacato e desordem) caíram de 133 ocorrências em 2016 para 121 em 2017.

Mais Lidas