CRIMES

Quadrilha interestadual é presa por furto qualificado no Recife

Oito pessoas foram presas por integrarem uma quadrilha que atuava em PE, PB, RJ e SP. Alvos do grupo eram pessoas idosas

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 24/03/2017 às 18:07
Leitura:

Imagem

Oito integrantes de uma quadrilha interestadual, que atuava nos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio de Janeiro e São Paulo, foram presos nesta quinta-feira (23), no Recife. O grupo, que estava no Recife há apenas 10 dias, é acusado pelos crimes de furto qualificado, clonagem de cartões de crédito e por hackear informações e dados com o intuito de extorquir dinheiro das vítimas.

Confira os detalhes na reportagem de Marcela Maranhão:

Os alvos dessa quadrilha eram pessoas idosas e, foi a partir da denúncia de uma senhora de 83 anos, que teve cerca de R$ 11 mil furtados mediante fraude, que a polícia conseguiu chegar a um dos integrantes: Gilson Teodoro da Silva, de 26 anos. Ele foi preso no Shopping Recife, quando comprava sapatos se passando por outra pessoa.

A partir de Gilson, foram identificadas mais sete pessoas. Três foram presas no Bairro do Hipódromo, em um estúdio de tatuagem: o pernambucano Erilson Barbosa de Oliveira Júnior, 21 anos, o paraibano Lucas Tadeu Moreira Malta, 26 anos e o paulista Bruno dos Santos Silva, 27 anos.

Foram presos em um flat no bairro de boa viagem, o carioca Yago Affonso, de 22 anos, hacker e programador, conhecido como Picasso; o pernambucano Andrews Renoir Ferreira, de 34 anos, ele que também era hacker, o paulista Gilberto Rocha Soares, de 30 anos, e a paulista Samara Saraiva Neves, de 22 anos. Ela que fazia as compras, quando o cartão furtado era feminino.

O titular da Delegacia de Roubos e Furtos, João Gustavo Godoi, conta o que foi relatado pela senhora que denunciou a fraude. Ainda de acordo com o delegado, os hackers da quadrilha já estavam preparando um novo golpe.

Apreensões

Foram apreendidos com os integrantes da quadrilha: três carros alugados, um palio, um HB20 e um voyage, três notebooks, que eram usados pelos hackers, diversos cartões de crédito furtados, leitores de chip, uma carteira de motorista falsa, além de cocaína, maconha e algumas seringas.

Mais Lidas