EXTORSÃO

Mulher é presa por fingir sequestro para tirar R$ 200 mil da família

Após inventar o sequestro, a enfermeira Águeda Suzana Alves foi desmascarada pela polícia e encaminhada para a Colônia Penal Feminina

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 28/03/2017 às 15:07
Leitura:

Imagem

Está presa na Colônia Penal Feminina Bom Pastor, na capital pernambucana, a enfermeira Águeda Suzana Alves. Ela simulou o próprio sequestro para extorquir dinheiro do marido e poder fugir com o amante.

A mulher saiu de Caruaru, no Agreste do Estado, e alegou que iria resolver um problema de família. No mesmo dia embarcou com destino ao rio de janeiro. Quatro dias depois, o marido dela, que não teve o nome divulgado, passou a receber ameaças por meio de mensagens, informando do sequesto.

A pessoa que teria feito o suposto sequestro cobrava R$ 200 mil de resgate. Os detalhes foram apresentados na sede do Grupo de Operações Especiais (GOE), no bairro do Cordeiro, nesta terça-feira (28).

De acordo com o delegado Ramon Teixeira, a família de Suzana acionou a polícia, que, ao investigar o caso, descobriu que o suporto sequestro foi armado. Ela foi abordada pela polícia quando retornava do Rio, no dia 15 de março, como explicou o delegado.

Confira os detalhes na reportagem de Suellen Fernandes:

Cúmplices

Suzana Alves enviou fotos de um suposto cativeiro e o delegado Guilherme Caraciolo acredita que o local foi articulado para simular o esconderijo. Mesmo não informando a identidade do amante de Águeda, Guilherme Caraciolo diz que a polícia já tem a localização da casa, no Rio de Janeiro, onde a enfermeira esteve.

De acordo com o delegado, outras pessoas podem estar envolvidas no falso sequestro, o que pode levar a mais pessoas a serem indiciadas. Águeda Alves está presa preventivamente e vai responder por crime de extorsão.

Mais Lidas