ZONA NORTE

Polícia identifica suspeito de assaltar instituição católica no Recife

Luiz Feliph da Silva Victor, de 21 anos,, de 21 anos, havia trabalhado na instituição católica anos atrás. Irmandade das Almas fica na Avenida Norte

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 29/03/2017 às 16:02
Leitura:

Imagem

A Polícia Civil conseguiu identificar um dos dois homens que participaram de um assalto ao escritório da Irmandade das Almas, uma instituição católica que fica na Avenida Norte, na altura da Rua Marquês do Paraná.

A ocorrência aconteceu no dia 17 deste mês, e, de acordo com a titular da Delegacia do Espinheiro, Silvana Carla, Luiz Feliph da Silva Victor, de 21 anos, já conhecia a rotina do local porque anos antes, ele trabalhou como auxiliar de pedreiro em uma obra dentro da instituição católica.

Como ele tinha acesso ao escritório para receber os pagamentos, as investigações apontam que ele se aproveitou disso para então planejar o assalto junto com outro rapaz, que ainda não foi identificado pela polícia.

A delegada detalha como se deu a ação da dupla. "Ele teve lá no escritório e informou ao porteiro que estaria procurando salas para alugar. Quando chegou no escritório anunciou o assalto, tendo subtraído sete celulares, três notebooks e vários cheques no valor de R$ 13 mil", destacou.

Ainda de acordo com a delegada, o inquérito foi concluído na tarde desta terça-feira (28) e a polícia já representou pela prisão preventiva de Luiz Feliph da Silva Victor.

Confira os detalhes na reportagem de Marcela Maranhão:

Quem tiver informações sobre ele, pode ligar para a delegacia do Espinheiro, o telefone é o 31843376 ou para a Delegacia do Ipsep pelo 31843378. Informações também podem ser passadas pelo Disque Denúncia: 3421-9595. O sigilo é absoluto.

Instituição católica na mira dos ladrões

Imagem

Esta não foi a primeira investida a uma instituição católica nas imediações. No dia 7 deste mês, o cofre e o ostensório da Igreja de São Miguel Arcanjo, que fica na rua Marquês do Paraná, foram furtados.

As investigações seguem aqui na Delegacia do Espinheiro, mas ainda não é possível dizer se existe alguma ligação entre os dois casos.

Mais Lidas