TRANSPORTE PÚBLICO

Rodoviários da Caxangá paralisam ônibus em protesto contra demissões

Funcionários da empresa alegam que 77 rodoviários foram demitidos desde janeiro. Eles alegam que estão sendo obrigados a vender os cartões VEM

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 10/04/2017 às 7:58
Leitura:

Imagem

Na manhã desta segunda-feira (10), motoristas, cobradores e fiscais da empresa Caxangá realizam uma paralisação dos serviços contra as mudanças nas linhas de ônibus e demissões de cobradores. Os rodoviários também alegam que estão sendo obrigados a vender os Vale Eletrônico Metropolitano (VEM).

Com a mobilização, os veículos da empresa Caxangá não saíram da garagem. Na empresa trabalham 1900 funcionários, sendo 700 cobradores. Saiba mais na reportagem de Clarissa Siqueira:

A paralisação na garagem da empresa, que fica entre os bairros de Jardim Brasil e Peixinhos, em Olinda, começou por volta das 3h e não há previsão de retorno das atividades. Os rodoviários afirmam que só vão liberar a saída dos veículos quando forem o fim das demissões for negociado.

De acordo com o sindicato dos Rodoviários, a paralisação afeta cerca de 240 mil passageiros. São 54 linhas que dos bairros de Peixinhos, Caixa D'Água, Passarinho, Alto da Bondade, Alto Santa Terezinha, Jardim Brasil, Sítio Novo, Águas Compridas, Aguazinha, Córrego do Abacaxi, Rio Doce, Ouro Preto, e outros bairros de Olinda, além de Beberibe, Afogados, Dois Unidos, Bom da do Hemetério, Alto José Bonifácio, Alto do Capitão, Água Fria e outros bairros da Zona Norte da capital pernambucana.

Demissões

De acordo com os rodoviários, profissionais de linha que já circulam sem cobradores estão sendo demitidos desde janeiro deste ano. Segundo a cobradora Jaidete Leite, 77 trabalhadores, entre motoristas, cobradores, fiscais e funcionários de serviços gerais perderam o emprego, mesmo com a promessa de não haver desligamento. "Eu trabalho aqui há 12 anos e eu nunca vi uma demanda de demissões tão grande quanto essa agora", diz. "Eles alegam que é por causa de assalto, mas isso não justifica não. Ainda que fosse, não vai deixar de ser assalto o ônibus não. Eles sobem nos ônibus e levam o celular do passageiro. A empresa está preocupada com o passageiro? Não está não", desabafa.

Só com o VEM

Atualmente, 15 linhas de ônibus estão circulando sem cobrador. Nelas, os passageiros só podem fazer o embarque utilizando o cartão Vem e a venda está sendo realizada pelos rodoviários, de acordo com o sindicato.

Mais Lidas