POLÍCIA FEDERAL

Advogados presos com pornografia infantil responderão em liberdade

Investigações da Polícia Federal duraram mais de um ano e havia a suspeita de armazenamento e compartilhamento de pornografia infantil

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 11/04/2017 às 17:49
Leitura:

Imagem

Os dois advogados presos na Zona Norte do Recife por compartilhar e armazenar pornografia infantil vão responder ao crime em liberdade. Eles foram presos em flagrante, nesta terça-feira (11), durante a “Operação Curumim”.

De acordo com a Polícia Federal, as investigações começaram há mais de um ano, em março de 2016, com a suspeita de que os dois homens estariam armazenando e compartilhando vídeos e fotos de sexo explícito com crianças e adolescentes, como detalha do chefe de comunicação da PF, Giovani Santoro.

Confira os detalhes na reportagem de Henrique Santos:

Ainda de acordo com Polícia Federal foi arbitrada a fiança de 10 salários mínimos para cada um dos suspeitos. O material apreendido na residência dos advogados será analisado e se além do armazenamento do conteúdo pornográfico, se houver a comprovação de compartilhamento eles podem pegar até seis anos de prisão.

Giovani Santoro ainda explica por que os nomes dos suspeitos não serem divulgados. “A gente costuma não divulgar o nome dos suspeitos e nem suas fotos em virtude desse tipo de crime provocar uma grande revolta diante dessas pessoas. Geralmente essas costumam ser hostilizadas (...) Não é justo ninguém querer fazer justiça com as próprias mãos”, disse.

Operação Curumim

Dez policiais participaram da Operação Curumim nesta terça-feira (11) e os dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos nos bairros da Encruzilhada e Ponto de Parada, na Zona Norte da capital pernambucana. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também participou da operação.

Mais Lidas