SEGURANÇA PÚBLICA

Instituição envia carta à ONU e à OEA sobre morte de jovem em Itambé

Centro Popular de Direitos Humanos emitiu as cartas para cobrar atenção maior do Governo de Pernambuco sobre caso de jovem morto por policiais em Itambé

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 17/04/2017 às 14:31
Leitura:

Imagem

O diante do aumento dos números da violência no Estado, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Angelo Gioia, afirmou que, apenas neste ano, foram realizadas 194 prisões de homicidas em flagrante e mais 334 prisões de homicidas após cumprimento de mandados judiciais. A informação foi dada em entrevista ao programa Passando a Limpo da Rádio Jornal, na manhã desta segunda-feira (17).

Ao todo, 548 pessoas foram assassinadas em Pernambuco no mês de março, uma média de aproximadamente 17 por dia. O mês de fevereiro de 2017 apresentou o maior número em dez anos, com 498 homicídios. Ao todo só em 2017 já são 1.526 mortes violentas no Estado.

Caso Edvaldo

Em meio à violência, o despreparo da Polícia Militar ganhou notoriedade. Na manhã dessa segunda-feira, a Comissão de Cidadania e Direitos Humanos se reuniu na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para pedir mais celeridade na punição dos policiais envolvidos na agressão e morte do jovem Edvaldo da Silva Alves, que foi atingido por uma bala de borracha, disparada por Polícia Militar no último mês de março em Itambé, na Zona da Mata Norte do Estado.

O presidente da comissão, deputado Edilson Silva, destaca as principais reivindicações debatidas no encontro.

Os detalhes na reportagem de Henrique Santos:

Representantes do Centro Popular de Direitos Humanos também participaram da reunião e, de acordo com a instituição, cartas foram direcionadas à Organização das Nações Unidas (ONU) e à Organização dos Estados Americanos (OEA) para que o caso ganhe mais atenção do Governo de Pernambuco.

Mais Lidas