CRISE

Comércio do centro do Recife sofre com aumento da insegurança

Além da crise financeira que afeta o comércio há alguns anos, a violência no centro do Recife tem afastado os clientes

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 25/04/2017 às 14:27
Leitura:

Imagem

Comerciantes que tem lojas no centro do Recife estão passando por um momento difícil nos últimos meses e o motivo não é só a crise financeira que se instalou no país há dois anos, mas também a violência que cresce a cada dia no Estado de Pernambuco. Quem vive do comércio já sente no bolso o impacto causado pela insegurança.

Com medo dos assaltos e dos arrastões, que são constantes nas ruas do centro da cidade, muitos ambulantes e donos de estabelecimentos comerciais estão encerrando as atividades antes de anoitecer. Na Rua da Palma, por exemplo, via bastante conhecida e de grande movimentação, os comerciantes presenciam assaltos e roubos diariamente como relata Daniel José, que tem um pequeno comércio há dois anos no centro da cidade. Segundo ele, as vendas caíram por conta da insegurança.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

No comércio de dona Jaira Soares a situação se repete. Negociando há quase um ano na rua marquês do Herval, ela reclama da falta de clientes e atribui o prejuízo à violência na cidade.

De acordo com o diretor executivo da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do Recife, Fred Leal, o órgão recebe diariamente denúncias de comerciantes do centro do Recife aflitos com a quantidade de assaltos. Fred também afirmou que uma carta foi enviada ao governador Paulo Câmara pedindo mais policiamento nas ruas do Recife.

Segundo a Polícia Militar, 15 viaturas fazem o policiamento no centro da cidade. No momento em que nossa equipe de reportagem fazia esta matéria nenhum policial foi localizado.

Mais Lidas