LIBERDADE

Primeira Turma do STF manda goleiro Bruno de volta à prisão

A Segunda Turma do STF julga na tarde desta terça-feira um pedido de habeas corpus de José Dirceu

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 25/04/2017 às 15:12
Leitura:

Imagem

O Supremo Tribunal Federal (STF) pode tomar decisões importantes em relação a figuras conhecidas do brasileiro. Na tarde desta terça-feira (25), a segunda turma do STF vai apreciar um pedido de habeas corpus de José Dirceu. A defesa do ex-ministro alega que, apesar de ter sido condenado duas vezes em primeira instância, ele deveria esperar em liberdade pelo julgamento em segunda instância.

Fazem parte da segunda turma os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Edson Fachin. Para obter a liberdade, Dirceu precisa que a maioria deles decida por conceder seu habeas corpus.

Homem forte do PT e cabeça pensante do primeiro governo do ex-presidente, Dirceu foi condenado duas vezes pelo juiz Sérgio Moro, responsável por julgar as ações da operação lava-jato em primeira instância. Ele está preso desde agosto de 2015. O petista foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro sob a alegação de que recebeu vantagens indevidas em contratos com a Petrobrás.

Confira os detalhes na reportagem de Romoaldo de Souza:

Caso goleiro Bruno

Imagem

Enquanto a segunda turma de ministros julga o caso Dirceu, a primeira turma do STF julgou o habeas corpus que garantiu a liberdade ao goleiro Bruno Fernandes, condenado pela morte de Eliza Samudio. Os ministros se reuniram para atender um parecer da Procuradoria Geral da República que pedia a revogação da decisão que libertou Bruno.

A maioria dos ministros (3 votos a 1) da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) votou nesta terça-feira (25) para mandar o goleiro Bruno de volta à prisão.

A liminar que propiciou que o jogador deixasse a prisão foi concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello em fevereiro deste ano.

Mais Lidas