GREVE GERAL

TRT determina que rodoviários coloquem 50% da frota nas ruas

Rodoviários vão aderir à greve geral que será realizada nesta sexta-feira. Diversas categorias já indicaram que vão paralisar as atividades

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/04/2017 às 15:34
Leitura:

Imagem

A sexta-feira, 28 de abril de 2017, não será um dia comum no Brasil. A promessa dos movimentos sociais é que várias categorias participem da greve geral em protesto à Reforma da Previdência e à Reforma Trabalhista propostas pelo Governo Michel Temer.

Na Região Metropolitana do Recife, os funcionários vinculados ao Sindicato dos Rodoviários decidiram aderir à greve geral desta sexta. A decisão foi comunicada durante a caminhada realizada na última segunda-feira, contra a retirada de cobradores das linhas de ônibus.

De acordo com sindicato, a suspensão dos serviços começará a partir da 0h da sexta, voltando às atividades regulares no dia seguinte. O grande recife consórcio e trasporte chegou a determinar que durante os horários de pico 50% da frota fosse posta nas ruas.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana/PE) uma liminar judicial para forçar os motoristas, cobradores e fiscais a ofertar pelo menos metade da frota de transporte nesta sexta-feira foi dada pela desembargadora Gisane Barbosa de Araújo, do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT), e determina que os rodoviários coloquem nas ruas 50% da frota nos horários de pico e 30% no restante do dia, como detalhou o presidente Urbana/PE, Fernando Bandeira.

Confira os detalhes na reportagem de Henrique Santos:

Categorias mobilizadas

Agências bancárias e dos Correios, professores das redes municipais e estadual, aeronautas, guardas municipais e servidores da Prefeitura do Recife, metroviários, servidores do Ministério Público Federal e de Pernambuco e do Tribunal de Contas do Estado (TCE) também já anunciaram que vão aderir à paralisação.

A partir da madrugada desta sexta-feira, as centrais sindicais de Pernambuco e os movimentos da Frente Popular Povo Sem Medo irão realizar uma mobilização nas ruas do Recife e Região Metropolitana aderindo à paralisação nacional contra a reforma trabalhista e previdenciária aprovada pela câmara federal. Uma mobilização com representantes dessas entidades está prevista para acontecer logo no início da manhã da sexta em frente a locais de grande circulação de pessoas como os terminais de ônibus e estações do metrô.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

A informação foi passada durante uma entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (26) na sede da nova central sindical de trabalhadores, no Recife. Participaram da reunião pessoas ligadas a dois movimentos populares e a nove centrais sindicais entre eles Central Única de Trabalhadores (CUT), Sinpol, Central de Servidores Públicos, União Geral dos Trabalhadores, Força Sindical e Frente Povo Sem Medo.

De acordo com Paulo Rocha, vice-presidente da Central Única de Trabalhadores do Estado, a partir das 14h haverá uma concentração em frente à Praça do Derby de onde os manifestantes sairão em passeata seguindo o percurso pela Avenida Conde da Boa Vista até o centro do Recife.

Policiais estarão nas ruas

A Secretaria de Defesa Social (SDS) informou por meio de nota que as polícias trabalharão normalmente, atendendo a população. Ainda de acordo com a SDS, o Supremo Tribunal Federal proibiu, no último mês de fevereiro, qualquer greve das forças de segurança.

Mais Lidas