RODOVIÁRIOS

Contrariando decisão do Sindicato, ônibus continuam nas garagens

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Benilson Custódio, informou que o recado da categoria já foi dado. Mas os ônibus permanecem nas garagens

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 28/04/2017 às 14:54
Leitura:

Imagem

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Benilson Custódio, informou, em entrevista à Graça Araújo, informou que os ônibus vão voltar a circular na tarde desta sexta-feira (28). A categoria foi uma das que aderiu à Greve Geral. No entanto, motoristas de diversas empresas de coletivos que circulam pela Região Metropolitana do Recife ainda não saíram das garagens.

Segundo ele, o recado já foi transmitido. “Nosso objetivo foi alcançado. Fomos vitoriosos e conseguimos mobilizar toda a categoria. O recado foi dado aos parlamentares que aprovaram essa reforma trabalhista em primeiro turno, mas os senadores já vão ter uma forte dor de cabeça depois que eles verem o repúdio dos trabalhadores”, destacou Benilson Custódio.

Mas, diversos motoristas ainda não saíram das garagens e prometem que não levar os ônibus para as ruas. Na Empresa Caxangá, por exemplo não tem motoristas e nem cobradores para sair nas ruas.

Na empresa Borborema, os rodoviários estão na garagem, mas não voltar às atividades. Na empresa Globo, os motoristas e cobradores não voltaram e não têm previsão de retorno dos ônibus.

Já na Rodotur, motoristas não saíram das garagens e só devem voltar neste sábado (29).

De acordo com Benilson, os representantes do sindicato já saíram das portas das empresas de ônibus e agora o Sindicato vai se mobilizar para revogar a liminar do TRT que obrigava os motoristas a circularem com 50% da frota. “O nosso jurídico ontem já entrou com um agravo para diminuir o valor da multa estipulada pelo TRT e na próxima semana a gente vai pedir a revogação por completo dessa liminar”, explicou o presidente.

Confira os detalhes na entrevista com Benilson Custódio:

Pela manhã, nenhum ônibus nas ruas

Nas garagens de ônibus e terminais integrados da Região Metropolitana do Recife, às 4h10, cadeados nos portões mostravam bem antes do dia amanhecer que a adesão dos rodoviários seria de 100 %.

Com isso restou aos passageiros que resolveram sair de casa nesta sexta-feira, durante a greve geral contra as reformas trabalhista e da previdência, apelar para o metrô para chegar ao centro do Recife.

O auxiliar de almoxarifado Robson Carvalho, saiu de cavaleiro na tentativa de chegar a ilha o leite e teve que caminhar até o trabalho.

Rafael Carneiro acompanhou a movimentação durante a manhã:

Ao lado dos terminais, outras opções de transporte foram os mototaxistas, taxistas e motoristas particulares. Com a paralisação dos rodoviários, que nem compareceram para a jornada de trabalho, o sindicato que representa as empresas de ônibus, a Urbana-PE, reclamou do não cumprimento da determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de oferecer 50% da frota nos horários de pico e 30% no restante do dia, como falou Fernando Bandeira.

Nas principais avenidas e rodovias que cortam o Grande Recife, manifestações bloquearam com pneus e entulhos incendiados o tráfego de veículos que esteve reduzido em relação ao movimento normal de um dia de semana.

Nas delegacias, havia grande expectativa de que agentes aderissem à Greve Geral, mas o atendimento de registros de boletins de ocorrências e investigações foi mantido, como explica o diretor integrado metropolitano da Polícia Civil Joel Venâncio.

O Metrorec divulgou nota na manhã desta sexta-feira (28), garantindo a operação do transporte entre 16h e 20h.

Mais Lidas