PERNAMBUCO

Operação Couraça investiga desvio de R$ 40 milhões em prefeituras

Os desvios de verbas dos Ministérios da Saúde e Educação teriam acontecido nas Prefeituras de Itapetim, Brejinho e São José do Egito, todas no Sertão do Estado

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 11/05/2017 às 14:23
Leitura:

Imagem

Uma denúncia de 2016, de um vereador da Itapetim, no Sertão de Pernambuco, fez a polícia chegar a um esquema de fraude a licitações e desvio de recursos públicos nas cidades de Itapetim, Brejinho e São José do Egito no Sertão do Estado. Irregularidade desvio R$ 40 milhões.

Dos 20 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal da 5ª Região e executados nesta quinta-feira (11), três deles chamam atenção por serem executados na casa do ex e do atual prefeito em Itapetim, na Prefeitura de Brejinho.

O superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, Marcello Diniz Cordeiro, detalha o esquema fraudulento que desviava recursos do Ministério da Educação e da Saúde. “Basicamente, existem empresas fantasmas, licitações que foram ganhas por pessoas que eram sócias dessas empresas, que tem um relacionamento muito próximo dos gestores dessas prefeituras e com isso obtinham essa facilidade para ganhar essas licitações”, disse. “E, uma vez ganha, essas licitações eram passadas para um mestre de obras que tinha ligações com essas pessoas e essas obras, eventualmente quando eram feitas, eram feitas de forma irregular, não atendendo aos critérios previstos na lei”, explicou o superintendente.

Na apuração preliminar, que motivou a Operação Couraça, três empresas se revezavam em licitações de obras com recursos do Ministério da Educação por meio Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação e do Ministério da Saúde e quando executavam os projetos estes apresentavam problemas na estrutura.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

Apreensões

Entre os materiais recolhidos pelos policias estão recibos, notas fiscais, HD's, livros contábeis e de pagamentos que ficam à disposição da justiça para serem avaliados, como detalhou Fábio Araújo, chefe da Controladoria Geral da União.

Além de investigar o material apreendido, a Polícia Federal vai convocar prefeitos, secretários, sócios de empresas e o mestre de obra que atuava em grande parte das obras de escolas unidades de saúde.

Mais Lidas