PREOCUPAÇÃO

Vítimas de envenenamento em Camaragibe permanecem internadas

Nove pessoas de uma mesma família foram vítimas de envenenamento durante um almoço do Dia das Mães, na comunidade do Sítio dos Macacos, em Camaragibe

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 15/05/2017 às 16:44
Leitura:

Imagem

Ainda estão internadas no Hospital da Restauração, na área central do Recife, quatro pessoas de uma mesma família que foram envenenadas, possivelmente, com chumbinho durante este final de semana, em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife.

Débora Regina Belo Soares, de 22 anos, está em estado grave de saúde. Os outros familiares dela, Valquilene Maria Soares, de 34 anos, Nilva Maria da Silva e Augusto Francisco Soares ainda estão recebendo cuidados médicos.

No total, nove pessoas foram envenenadas. Duas delas, Thalisson Gomes Soares e Reginaldo Francisco Soares estão internadas num hospital particular, no bairro do Janga, em Paulista. As vítimas que foram socorridas para a UPA dos Torrões já receberam alta. São Maria Soares, José Edson Soares da Silva e Gleicikelly Soares.

A polícia ainda procura o suspeito de ter colocado o veneno na comida. Ele foi identificado apenas como Kiko e seria um ex-namorado de Debora. A delegada de Camaragibe, Euricélia Nogueira, foi quem assumiu as investigações.

Confira os detalhes na reportagem de Leopoldo Monteiro:

Relembre o caso

Imagem

Nove pessoas da mesma família passaram mal após um almoço em comemoração ao Dia das Mães, no último domingo (14), na comunidade Sítio dos Macacos, no município de Camaragibe.

O envenenamento teria sido provocado pelo ex-0namorado de uma das vítimas. De acordo com a polícia, o suspeito teria misturado um produto para matar rato, conhecido popularmente como chumbinho, no tempero utilizado na preparação das refeições, o colorau que estava na cozinha da casa da família. Duas horas após terem almoçado as vítimas apresentaram os mesmos sintomas.

O homem que teria praticado o crime foi identificado pelos familiares da moça com o nome de Kiko. Segundo um parente de Débora, que mora vizinho a casa dela, e que por pouco não participou do almoço, o suspeito não aceitava o fim do relacionamento com a jovem e por isso havia prometido vingança. Ainda de acordo com familiares, o suspeito teria entrado na casa de Débora Dias antes do crime, como relatou Reginaldo Francisco tio da vítima.

A repórter Juliana Oliveira tem as informações:

Mais Lidas