CRIME SEXUAL

Homem é preso suspeito de abusar sexualmente de filhas e enteadas

Uma das vítimas, uma criança de dois anos, é filha da enteada do homem, que também foi abusada pelo suspeito. A criança pode, inclusive, ser filha do agressor

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 16/05/2017 às 14:30
Leitura:

Imagem

Está no Cotel, em Abreu e Lima, um vendedor de livros de 41 anos suspeito de abusar sexualmente da própria filha e de mais quatro enteadas, além de uma criança de apenas dois anos de idade filha de uma das vítimas. Os abusos vinham acontecendo há cerca de quatro anos e o homem cometia os crimes dentro da casa onde ele morava com a família na Ilha de Joana Bezerra, no centro do Recife.

A mãe das vítimas desconfiou do caso no fim do ano passado e procurou a polícia para denunciar o companheiro após perceber mudança no comportamento das filhas que na época tinham: 14,13, 9 e 5 anos. As vítimas também foram ouvidas e relataram à polícia que o padrasto fazia ameaças caso elas contassem o que se passava para a mãe.

O delegado gestor do Departamento de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Darlison Macedo, explicou que a criança de dois anos que foi abusada pode ser filha do agressor. "Há uma grande probabilidade de que essa criança que também foi abusada por ele ser filha biológica dele", disse. "Ela é filha de uma das enteadas que sofreu o estupro com conjunção carnaval, os laudos confirmam isso", disse.

Segundo o delegado, em 2011, ele já havia sido indiciado por ter abusado da própria filha biológica, dos 9 aos 14 anos. "Esse crime deixa sequelas na vida da criança para sempre", alertou o delegado.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

Prisão

O homem foi preso na Avenida Dantas Barreto, na área central do Recife, na última sexta-feira (12). Contra ele havia um mandado de prisão preventiva pelos crimes de estupro e estupro de vulnerável, quando a vítima é menor de 14 anos.

Ainda de acordo com a polícia, o agressor já possui antecedentes criminais. O delegado aproveitou o momento para fazer um alerta as famílias que tem conhecimento de casos de violência contra crianças e adolescentes e não denunciam a polícia.

Até o dia 30 de abril deste ano, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa registrou 61 ocorrências de estupro no Estado. Deste número 54 foram contra menores de 14 anos e sete acima desta idade. Para a polícia este número pode estar sub-notificado devido à falta de denúncia por parte da população.

Mais Lidas