JOGO PERIGOSO

Polícia pode utilizar Lei de Infiltração para investigar Baleia Azul

Desafio leva crianças e adolescentes a se automutilarem. Ontem, uma garota de 15 anos tentava se jogar de uma ponte do Recife como parte do Baleia Azul

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 16/05/2017 às 9:38
Leitura:

Imagem

Na noite dessa segunda-feira (15), uma adolescente de 15 anos foi encontrada no parapeito da Ponte Buarque de Macedo, no bairro do Recife, tentando se jogar no Rio Capibaribe. Ela apresentava cortes nos braços e a suspeita é que ela estivesse participando do Desafio Baleia Azul.

A garota convencida a sair da ponte e levada para o Instituto de Medicina Legal, onde passou por exames de corpo de delito. O jogo que leva crianças e adolescentes a se automutilarem e cometerem suicídio também poderá ser investigado com a utilização da Lei de Infiltração Policial que, a princípio, seria usada apenas para apuração de crimes de pedofilia.

Leia também:

» Policiais poderão usar perfis falsos para investigar pedofilia na rede
» Baleia azul: adolescente de 14 anos é internada após sofrer mutilações
» Desafio da Baleia Azul pode ter feito 1ª vítima fatal em Pernambuco

Lei de Infiltração

A polícia Civil já está investigando o caso, mas agora tará um instrumento a mais. De acordo com o chefe de comunicação da Polícia Federal, Giovani Santoro, a infiltração policial precisa ser fundamentada e autorizada por um juiz.

Leia também:

» Primeiro caso do jogo da Baleia Azul é registrado em Pesqueira
» Psicólogo faz alerta sobre jogo da Baleia Azul

O policial infiltrado deve apresentar relatórios e tem, no máximo, 720 dias para concluir a investigação. A Lei de Infiltração, que entrou em vigor no dia 9 de maio, e altera o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Mais Lidas