PARALISAÇÃO

“Greve dos rodoviários é por briga política”, diz presidente do Urbana

O Urbana-PE faz o pedido de dissídio coletivo dos rodoviários na manhã desta segunda-feira (03) no Tribunal Regional do Trabalho

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 03/07/2017 às 8:32
Leitura:

Imagem

Na manhã desta segunda-feira (03), O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) deve entrar com o pedido de dissídio coletivo dos rodoviários no Tribunal Regional do Trabalho. O presidente do Urbana-PE, Fernando Bandeira, acredita que o julgamento deve acontecer em no máximo dois dias. “Estamos dando entrada no TRT com o pedido de dissídio coletivo e Acredito que o julgamento leva algum tempo porque tem que sortear o relator e apresentar em plenário, mas no amanhã à tarde ou na quarta-feira deve estar sendo julgado”, afirma. Ouça a entrevista:

A repórter Juliana Oliveira esteve nas ruas nesta manhã de segunda-feira registrou a dificuldade da população para conseguir um transporte.

Greve

Para o presidente do Urbana-PE, Fernando Bandeira, a greve dos rodoviários que teve início nesta segunda-feira é fruto de divergências entre os empregados. “Essa paralisação decorre de uma briga política dos sindicatos dos empregados. Eles decretaram essa greve e não estão comprido com o mínimo de 30% da frota”, diz.

O repórter Rafael Carneiro ouviu Magno Rodrigues da associação de rodoviários que faz oposição; ouça:

Os rodoviários pedem 7% de reajuste no piso salarial, 25% de aumento no vale alimentação e permanência dos cobradores nos cargos. De acordo com Fernando Bandeira, as reivindicações estão fora da realidade do país. “O pedido inicial foi de 14%, baixaram para 10% e depois para 7%. Estão pedindo o dobro da inflação e o país está vivendo um momento de muita dificuldade”, afirma.

Mais Lidas