ALERTA

Doença da urina preta: Secretaria de Saúde do Estado investiga casos

Um casal no Recife apresentou sintomas da doença da urina preta após ingerir um peixe da espécie arabaiana

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 01/08/2017 às 17:23
Leitura:

Imagem

A Secretaria de Saúde de Pernambuco acendeu o alerta após um casal do Recife apresentar sintomas da doença da urina preta. Há quase três semanas, depois de ingerir em casa um peixe da espécie arabaiana, um policial civil de 49 anos e a esposa dele, uma professora também de 49, sentiram fortes dores musculares e foram internados em um hospital particular da cidade.

Outro sintoma apresentado pelo casal foi com relação a tonalidade da urina dos dois ficou escura, levantando a suspeito de que ser dois casos de Mialgia Aguda Epidêmica ou Síndrome de Haff, porém popularmente conhecida como "Doença da Urina Preta". O problema atingiu dezenas de pessoas na Bahia e no Ceará entre o final de 2016 e o início de 2017.

Diante de todos os sintomas e exames feitos no casal, a Secretaria Estadual de Saúde, em nota emitida na manhã desta terça-feira (1º), informou que os casos foram notificados pelo hospital particular e estão sob investigação.

A mulher piorou e foi transferida para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), onde fez hemodiálise e permanece internada. Exames também apontaram a elevação da enzima CPK em amostras de sangue dos dois pacientes.

A SES informou que orientou o hospital a coletar o material diagnóstico para encaminhar ao Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE) para que sejam feitas as análises. A Secretaria ainda disse que está em contato com o Ministério da Saúde para discutir os casos.

O que é a doença da urina preta

O infectologista Filipe Prohaska explicou o que é a doença. "A doença da urina preta é um aumento de uma enzima chamada CPK (...) É a lesão da musculatura e aí essa lesão faz com que essa CPK aumente e ela aumentando leva a urina a escurecer", explicou, acrescentando que a leptospirose pode causar esse fenômeno.

Segundo o especialista a doença da urina preta ou Síndrome de Haff explicou que é rara e explica o sintomas. "Dor muscular é o principal sintoma. A dor é tão intensa e vai aumentando progressivamente. Essa dor é a lesão do músculo, que aumenta a enzima CPK no sangue e aí você o escurecimento da urina", detalhou. "No início, o tratamento principal é a hidratação", orientou.

Confira os detalhes na entrevista com o médico:

Confira nota da SES

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informa que foi comunicada, na manhã desta terça-feira (1º.08), da ocorrência de dois casos de mialgia aguda a esclarecer. A notificação foi feita pelo Real Hospital Português, no Recife. Após a notificação, a SES orientou o serviço sobre a coleta de material diagnóstico para encaminhar ao Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE) para que sejam feitas as análises. Além disso, com apoio do Estado, a secretaria de Saúde do Recife irá fazer a coleta de dados com os pacientes e a revisão dos prontuários. A SES também está em contato com o Ministério da Saúde para discussão do caso.

A SES ressalta que, em janeiro deste ano, encaminhou para todas as unidades hospitalares de Pernambuco o informe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia, que registrou casos no final de dezembro de 2016. Também foi encaminhado um alerta da SES com recomendação aos serviços locais para a notificação e investigação imediatamente (em até 24h) para quaisquer casos com características clínicas semelhantes, além de dados sobre a coleta de material diagnóstico e manejo clínico do paciente.

Importante destacar que, por meio da Rede de Centros de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Rede Cievs), a SES-PE acompanha e mantém toda rede de serviços de atenção e vigilância do Estado atualizada da evolução desses eventos.

Mialgia aguda a esclarecer: Todos os casos que apresentem dor muscular intensa, de início súbito, acometendo principalmente a região cervical e de trapézio, associado a dores nos braços e/ou dorso, e/ou coxa e/ou panturrilhas, sem causa aparente identificada e com alterações de enzimas musculares (creatininofosfoquinase - CPK).

Mais Lidas