HEMOBRÁS

Temer contraria ministro da Saúde e Hemobrás não sai de PE

Por meio de nota, o Ministério de Saúde informou que toda a fábrica da Hemobrás permanece em Goiana, Pernambuco

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 15/08/2017 às 21:39
Leitura:

Imagem

Por meio de nota o Ministério da Saúde informou que a fábrica de Fator VIII recombinante, do projeto da Hemobrás, permanece no complexo de Goiana, em Pernambuco. A decisão foi tomada depois de uma reunião entre o presidente da República, Michel Temer e os ministros da Saúde, Educação, Cidades, Minas e Energia e Defesa, Ricardo Barros, Mendonça Filho, Bruno Araújo, Fernando Coelho Filho, Raul Jungmann, respectivamente, nesta terça-feira (15).

Uma polêmica envolvia o projeto, depois que Ministro da Saúde anunciou que levaria essa parte importante do complexo para Maringá, de onde o ele é, além de começar a negociar com a empresa Octopharma sobre a construção. O empreendimento seria realizado, anteriormente, pela empresa francesa Shire. Após o posicionamento do Ministério da Saúde, a empresa francesa aumentou a proposta de investimento para a Hemobrás, em Pernambuco, de US$ 30 milhões para US$ 300 milhões.

Entenda

O ministro da Saúde estava renegociando o contrato para a produção do fator VIII recombinante da Hemobrás, o produto com maior valor agregado previsto para a fábrica de Goiana, na Mata Norte de Pernambuco. Barros estava articulando para que a produção fosse em Maringá (PR), seu reduto eleitoral, o acordo chegou a ser suspenso, mas uma liminar garantiu a sua manutenção. A construção estava 70% concluída e o cronograma foi interrompido diversas vezes por indícios de irregularidade, como superfaturamento de contratos. Foram mais de R$ 1 bilhão empregados no projeto.

Para ele, a paralisação da Hemobrás é culpa das gestões petistas e criticou o senador pernambucano Humberto Costa (PT-PE) por ter um discurso bairrista. "Pergunte ao governo do PT e ao Humberto Costa porque a fábrica não foi terminada. Recebi uma fábrica que está há anos sem funcionar e eu tenho a solução. Humberto foi ministro de um governo que em 14 anos não trouxe a solução", disse. Humberto Costa respondeu, leia aqui.

Confira a nota na íntegra:

Por orientação do presidente da República, Michel Temer, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, reuniu-se, nesta terça-feira (15), em Brasília (DF), com os ministros pernambucanos do Governo Federal: Mendonça Filho (Educação), Bruno Araújo (Cidades), Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) e Raul Jungmann (Defesa) para tratar do projeto da Hemobrás. Após o encontro, o Ministério da Saúde anunciou que fará negociações com os investidores detentores de tecnologia para iniciar a construção de uma fábrica de Fator VIII recombinante, no complexo de Goiana, em Pernambuco.

Após a notificação do Ministério da Saúde, a empresa Shire aumentou a proposta de investimento anteriormente apresentada a Hemobrás, em Pernambuco, de US$ 30 milhões para US$ 300 milhões para construir uma fábrica de Fator VIII recombinante, no complexo de Goiana (PE).

A construção da fábrica era uma obrigação não cumprida pela Hemobrás. Em função das negociações iniciadas pelo Ministério da Saúde, a empresa Shire apresentou nova proposta, com novos investimentos privados. Em razão da crise fiscal do país, a busca do Ministério da Saúde é realizar investimentos sem novos recursos públicos para esta finalidade, arcando somente com a compra centralizada de hemoderivados.

Provocada pela proposta da Octapharma para a construção de fábrica no Brasil, a empresa Shire se manifestou interessada em realizar investimentos e manter a Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) com a Hemobrás.

A conclusão de fábrica para fracionamento de plasma humano, que está inacabada no complexo de Goiana (PE) e que também requer investimento privado, será objeto de outra negociação, uma vez que não está contemplada na proposta da Shire.

Mais Lidas