NÁUTICO

Disse me disse na política do Náutico

Carta do futuro presidente do Náutico, procuração vazada são algumas das notícias do Timbu nesta semana

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 23/08/2017 às 20:48
Leitura:

Imagem

Na carta enviada por Edno Melo ao repórter amigo, Leonardo Boris, publicada no site da Rádio Jornal nesta segunda-feira (21), o vice-presidente administrativo-financeiro falou sobre insatisfações e disse que não recebeu autonomia para trabalhar. “A confiança recíproca, portanto, atestada nos documentos que permitam ao vice-presidente administrativo-financeiro desempenhar o seu papel”, diz um trecho da carta.

Em entrevista concedida a Ralph de Carvalho, Edno Melo reafirmou o pensamento e comentou que o presidente Ivan Brondi não deu legitimidade e que ele não tinha uma procuração para exercer a função. “Estamos com a verba do Profut atrasada. Eu queria negociar com a Procuradora Federal um prazo maior, esperando uma cota de televisão. Mas, como posso fazer isso se o presidente (Ivan Brondi) não me deu legitimação? Não tenho procuração para representar o Náutico nos bancos”, alegou.

Ouça o áudio da entrevista completa:

Procuração vazada

O repórter Leonardo Boris, por meio do whatsapp, recebeu uma Procuração Pública do Náutico, registrada em cartório, para Edno Melo. Segundo o documento, o vice-presidente administrativo-financeiro tinha poderes para agir em nome do clube. Confira o documento um e dois. Edno ainda teria enviado uma procuração para a direção do Náutico assinar. O comando do Timbu comentou que o documento delegava menos poderes a ele, do que o enviado e autentificado pelo presidente do clube alvirrubro de Rosa e Silva. Veja o documento aqui!

Ainda segundo Leonardo Boris, o futuro presidente esteve Na CBF, em uma rede de televisão e na semana passada conversou com o Secretário de Turismo Esporte e Lazer, Felipe Carreras responsável pela Arena de Pernambuco, de posse dessa procuração.

Resposta

A nossa reportagem entrou em contato com a assessoria de Edno Melo que negou o recebimento da procuração. A nossa produção não conseguiu contato com Ivan Brondi.

Mais Lidas