DENÚNCIA

IML e hospital negam sumiço de feto de adolescente morta em Paulista

A adolescente Shayane Rodrigues, de 14 anos, e o namorado de 21 anos foram mortos a tiros; ela estava grávida de sete meses

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 28/08/2017 às 14:56
Leitura:

Imagem

A família da jovem Shayane Rodrigues Alves, de 14 anos, morta no último sábado (26), procura o bebê que a adolescente esperava. O Instituto de Medicina Legal (IML) e o Hospital Miguel Arraes, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, afirmam por meio de nota que adolescente morta em Maranguape dois foi enterrada com o feto.

Mas a família afirma que, ao chegar no hospital, ouviu outra versão da história, é o que comenta uma tia da vítima que não quis ser identificada. "A menina chegou toda aberta aqui e dizendo que a criança estava dentro dela. No hospital disseram que a criança tinha nascido viva, depois disseram que tinham se enganado que a criança que estava viva era de outra mãe e a dela estava morta. Agora, me diga, onde está essa criança, se nem está aqui nem viva e nem morta?", questionou.

A direção do Hospital Miguel Arraes afirmou que tanto Shayane quanto o feto já chegaram sem vida à unidade e que ambos foram encaminhados ao IML. O Instituto informou que o corpo da adolescente e do feto foram periciados e, após resultado de um laudo, foram liberados para serem enterrados juntos.

Outra tia da vítima, que também não quis se identificar, afirma que o IML não recebeu o corpo da criança. "Chegando no IML constamos só os dois corpos, o de Vinícius e o da minha sobrinha", disse.

Confira os detalhes na reportagem de Felipe Pessoa:

Entenda o caso

Shayane foi morta na noite do último sábado, quando estava na residência dela, em Maranguape 2, Paulista. Ela e o companheiro, o ex-presidiário Carlos Vinicius Oliveira de Castro, de 21 anos, foram atingidos por disparos de espingarda calibre doze e pistola calibre 22. Carlos tinha deixado a cadeia no fim da semana passada.

Veja a nota completa do IML

O Instituto de Medicina Legal (IML) informa que o corpo da adolescente S.R.A, de 14 anos, e o do feto que ela gestava foram periciados e liberados para serem enterrados juntos. A presença do bebê foi atestada em laudo tanatoscópico. O corpo do feto, do sexo feminino, foi examinado e devolvido ao ventre da jovem. A Direção do IML está à disposição dos parentes para fazer os esclarecimentos necessários, inclusive com documentos e na presença dos profissionais que realizaram o procedimento.

Mais Lidas