DELAÇÃO JBS

Investigação: Janot anuncia que delação premiada da JBS pode ser cancelada

As investigações na delação da JBS vão atingir três dos sete executivos da empresa. Segundo Rodrigo Janot, a deleção poderá ser cancelada

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 04/09/2017 às 19:14
Leitura:

Imagem

Em coletiva convocada de última hora nesta segunda-feira (4), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, anunciou a determinação da abertura das investigações que vão apurar indícios de omissão de informações no acordo da deleção premiada da JBS, feita pelos donos da empresa, Joesley e Wesley Batista. O pronunciamento foi feito na sede da Procuradoria Geral da República. As investigações na delação da JBS vão atingir três dos sete executivos da empresa; segundo Rodrigo Janot, a delação poderá ser cancelada.

Novos áudios

No discurso, o procurador-geral disse ainda que áudios gravados têm conteúdo grave e foram obtidos pelo Ministério Público Federal (MPF) às 19h da última quinta-feira (31). Ao analisar a gravação, foi revelado um diálogo entre dois colaboradores com referências indevidas à Procuradoria-Geral da República (PGR) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). No discurso não foram revelados os crimes, mas Janot afirmou que entre o nomes no áudio, está o do ex-procurador da república e braço direito dele, Marcelo Miller. Se for comprovado que os delatores omitiram as informações, a delação será cancelada, pporém Rodrigo esclareceu que mesmo com o acordo cancelado, nenhuma prova já apresentada poderá ser invalidade.

Ouça os detalhes com Romoaldo de Souza:

Mais Lidas