POLÍTICA

Geraldo Julio defende Jarbas e classifica chegada de FBC no PMDB como "desrespeito nunca visto"

Para o prefeito do Recife, Geraldo Julio, será um desrespeito se o senador Fernando Bezerra Coelho tomar o comando do PMDB de PE

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 12/09/2017 às 12:30
Leitura:

Imagem

Além do vice-governador Raul Henry (PMDB), o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), também criticou a forma como o senador Fernando Bezerra Coelho deixou o PSB e ingressou no PMDB. O novo peemedebista pode tomar o comando da legenda, o que irritou o grupo de aliados do deputado federal Jarbas Vasconcelos, maior expoente do PMDB em Pernambuco.

"A saída de FBC do PSB é uma coisa, mas a forma como está entrando no PMDB é algo nunca visto. Jarbas tem 50 anos de PMDB, imagina amanhã chega alguém aqui nos estúdios e diz que você Geraldo Freire vai ser assistente do programa, não é mais apresentador, tudo isso sem te avisar. Raul Henry mostrou numa indignação verdadeira, demonstrando claramente o que está acontecendo, uma violência e desrespeito nunca visto na história política de Pernambuco. Não sei se o povo vai entender isso não", disse o prefeito do Recife.

>> Nordestinos não podem pagar a conta da crise, diz Geraldo Julio sobre privatização da Chesf

Geraldo também falou sobre o posicionamento do grupo Coelho de manter apoio ao presidente Michel Temer (PMDB), mesmo depois que o PSB rompeu com o governo federal. "A decisão de FBC foi um caminho que foi traçado. No primeiro dia do Governo Temer, o PSB fez oposição e o senador decidiu por participar, isso já foi um confronto. Me lembro que Eduardo Campos dizia que, no Governo dele, caso fosse eleito para a Presidência, a 'turma do Sarney' ficaria na oposição. Essa era a posição do PSB e continua sendo, e FBC está montando isso, um palanque que faz oposição ao PSB no Estado", disse.

Presidente do PMDB de Pernambuco, Raul Henry afirmou nessa segunda-feira (11) que a entrada de Fernando Bezerra Coelho na sigla foi "traiçoeira". Diante da possibilidade de perder o controle do diretório estadual da sigla, Henry afirmou que pode judicializar o caso para não perder o comando.

"A entrada às vésperas de um feriado foi de forma traiçoeira. É inaceitável, é indigno e vamos lutar para não permitir que aconteça essa violência aqui em Pernambuco. Teremos uma reunião com o diretório amanhã vamos participar e denunciar isso", disse o vice-governador de Pernambuco.

FBC entrou no PMDB na última quarta-feira (6), numa estratégia de Romero Jucá para lhe entregar o comando do partido. Como Henry foi eleito para uma comissão permanente, pode recorrer à Justiça Eleitoral, caso semelhante ao do PP do Ceará, onde a executiva nacional tem perdido no processo judicial.

ROMPIMENTO COM PAULO CÂMARA

Imagem

Além da irritação com a dissolução do diretório, a manobra para entregar o partido a FBC levaria o partido, que hoje é o principal aliado do governador Paulo Câmara (PSB), para a oposição aos socialistas. Logo após a filiação, Fernando Bezerra concedeu entrevista à Rádio Jornal e defendeu uma candidatura peemedebista ao Governo de Pernambuco. Entretanto, os aliados de Jarbas Vasconcelos e o próprio Henry afirmam que não vão deixar o palanque de Paulo Câmara em 2018.

Sobre o palanque de 2018, o prefeito Geraldo Julio ressaltou mais uma vez que o PSB vai estar aberto para conversar com qualquer sigla que esteja disposta a ingressar no projeto da Frente Popular. "Aquelas forças políticas que apoiarem o Governador Paulo Câmara nós vamos conversar. É um governo verdadeiro, franco com as pessoas, que lutam para fazer valer os esforços. Tivemos mais de 2 mil meninos que foram para o projeto ganhe o mundo, ele abriu nove escolas de referências, abriu 11 escolas técnicas, então ele vem fazendo esse trabalho, que a gente acredita e é conectado com o povo. Tem muita gente ajudando Paulo a governar, muita gente querendo ajudar. Estamos aberto ao diálogo", concluiu o prefeito.

Assista o debate da Super Manhã na íntegra

Mais Lidas