MEDO

Tumulto causado por grupos rivais deixa internos feridos na Funase de Abreu e Lima

Não há registro de mortos, mas pelo menos dez menores ficaram feridos durante a confusão na Funase de Abreu e Lima; situação já foi controlada

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 15/09/2017 às 15:59
Leitura:

Imagem

Um tumulto na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Abreu e Lima, no Grande Recife, deixou adolescentes feridos no início da tarde desta sexta-feira (15). O 17º Batalhão da Polícia Militar e a situação já foi controlada.

Os adolescentes se rebelaram e atearam fogo em colchões dentro de um dos corredores e próximo ao refeitório da unidade. Depois que teve início a confusão, vários familiares dos internos ficaram em frente a unidade. Segundo a Funase, tumulto pode ter sido causado por rixa entre grupos rivais. O Batalhão de Choque foi acionado para conter os internos.

Pelo menos, dez menores ficaram feridos e dois deles precisaram ser socorridos para a UPA de Jardim Paulista. Não há registro de mortos.

O comandante do 17º BPM, Marcos Ramalho, relata o que encontrou ao entrar na unidade. “Recebemos a informação de que os menores estavam tentando se agredir. Com a chegada do Batalhão de Choque foi feita as incursões necessários, e foi dominado o ambiente que se encontrava bastante hostil, utilizando-se inclusive de pedras”, contou.

Ouça os detalhes no flash de Leopoldo Monteiro:

O Batalhão de Choque realiza uma triagem na Funase para colocar os adolescentes nos pavilhões.

Vizinho da unidade gravou vídeo do momento da confusão:

Confira a nota completa da Funase

"A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) esclarece que, por volta do meio dia, foi registrado um tumulto no Case Abreu e Lima. O fato se deu devido a uma briga entre grupos rivais. Quatro adolescentes, com ferimentos leves, foram encaminhados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Paulista e estão bem. Não houve registros de fugas e nem de reféns. A Gerência de Segurança e a Corregedoria da Funase estiveram a todo momento dentro da unidade, tomando as providências necessárias. A ocorrência contou com o apoio imediato dos homens do 17º Batalhão de Polícia Militar, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), da Rádio Patrulha, da Companhia Independente de Operações Especiais (CIOE) e do Batalhão de Polícia de Choque, além do Batalhão de Guarda, do helicóptero da Secretaria de Defesa Social (SDS) e do apoio do Centro de Reeducação da PM (Creed). A situação está sob controle. Por meio de sua Corregedoria, a Funase abrirá uma Sindicância que vai apurar as causas e responsabilidades do tumulto."

Mais Lidas