CRIMINALIDADE

Polícia prende suspeitos de atear fogo e matar morador de rua em Boa Viagem

O morador de rua Josias Marcos estava dormindo quando duas pessoas atearam fogo ao seu corpo; todos os suspeitos também vivem em situação de rua

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 20/09/2017 às 14:03
Leitura:

Imagem

A Polícia Civil de Pernambuco procura por um quatro acusado de incendiar e matar o morador de rua Josias Marcos Souza da Silva, vulgo Pelé, de 46 anos. O foragido foi identificado como Wagner Carlos Nazaré de Albuquerque, mais conhecido como Dinho, de 32 anos, ele foi apontado nas investigações como participante do crime que aconteceu no bairro de Boa Viagem no último mês de junho.

De acordo com a polícia, Wagner teria comprado álcool para tocar fogo na vítima junto com mais três criminosos que já foram identificados e encaminhados ao Cotel por meio de mandado de prisão preventiva.

Segundo a delegada Beatriz Leite, os três, que também são moradores de rua, estavam escondidos no bairro de Pau Amarelo, em Paulista, Região Metropolitana do Recife. A motivação do crime foi a disputa pela área de flanelinhas.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

Paulo Roberto Gomes, de 35 anos, foi apontado como mandante do crime e Rômulo do Nascimento da Silva, de 36, foi um dos autores. Os dois foram presos na última sexta-feira, já o terceiro envolvido foi identificado como Ezequias Rodrigues da Silva, vulgo Robô. Ele foi detido na terça-feira e, segundo a polícia, ele também foi responsável por atear fogo no flanelinha.

Todos os acusados irão responder por homicídio triplamente qualificado pelos crimes de motivo fútil, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima.

Relembre o caso

Josias Marcos de Souza estava dormindo na Pracinha de Boa Viagem quando dois homens atearam fogo ao corpo dele na tarde do dia 5 de junho. Na tentativa de apagar o fogo, o morador de rua ainda correu em direção ao mar. Ele teve 60% do corpo queimado e sofreu queimaduras de segundo e terceiro graus no couro cabeludo, membros superiores e inferiores.

No dia 9 de junho, após passar quatro dias internado na Unidade de Queimados do Hospital da Restauração, o morador de rua não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Mais Lidas