Saúde

Dia mundial da psoríase é celebrado em 59 países

No consultório da Rádio Livre, dermatologistas debatem sobre o tratamento da psoríase

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 26/10/2017 às 21:31
Leitura:

Imagem

A psoríase, que tem o dia mundial celebrado em 59 países no dia 29 de outubro, atinge 2% da população e com mais frequência o adulto jovem, de 30 a 40 anos. A doença se caracteriza por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas. Essas placas aparecem com maior assiduidade no couro cabeludo, cotovelos e joelhos, mas pés, mãos, unhas e a região genital também podem ser afetados. A extensa da psoríase varia de pequenas lesões localizadas até o comprometimento de toda a pele.

Para falar sobre o tratamento, Graça Araújo recebeu no consultório da Rádio Livre desta quarta-feira (26), as dermatologistas Lígia Pessoa de Melo e Aldejane Gurgel.

Ouça o consultório na íntegra:

Causas

Não existe uma razão específica para a causa da doença. O que se acredita até agora é que em nosso sistema imunológico existe uma célula conhecida como célula T, que percorre todo o corpo humano em busca de elementos estranhos, como vírus e bactérias, com o intuito de combatê-los. Se a pessoa tem psoríase, as células T acabam atacando células saudáveis da pele, como se fosse para cicatrizar uma ferida ou tratar uma infecção.

Isso costuma trazer várias consequências, como a dilatação de vasos sanguíneos e o aumento no número de glóbulos brancos, que avançam para camadas mais externas da pele de forma muito rápida, provocando lesões avermelhadas. Trata-se de um ciclo ininterrupto, que só tem fim com o tratamento adequado. Acredita-se que a genética tem um papel determinante em boa parte dos casos de psoríase, mas, que fatores ambientais também estejam envolvidos.

Mais Lidas