Feminicídio

Presos 3 suspeitos da morte de jovem que combinou carona pelo WhatsApp

Jovem de 22 anos estava desaparecida desde a tarde última quarta-feira (01). O corpo dela foi encontrado seminu nessa quinta (2)

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 03/11/2017 às 10:25
Leitura:

Imagem

Três suspeitos de participação na morte da vendedora Kelly Cristina Kadamurro, 22, foram presos na noite dessa quinta-feira (2) por policiais do Grupo de Ações Especiais (Gaep) de São José do Rio Preto, cidade que fica a 440 km de São Paulo. A jovem foi encontrada morta nas proximidades de um córrego em Minas Gerais, depois de combinar uma carona pelo WhatsApp.

Um dos homens que foi preso confessou o crime, segundo informou o o tenente Virgílio Taparo, responsável por comandar as buscas pelos supeitos.

Jhonathan Pereira Prado disse que entrou no grupo do WhatsApp já com a intenção de cometer o crime e que a vítima teria sido escolhida de maneira aleatória. O suspeito já tinha contra ele um mandado de prisão expedido. Também foram presos Wagner Luís Cunha e Daniel Teodoro Silva, os outros dois suspeitos de participação no crime.

Dois dos suspeitos estão diretamente ligados à morte de Kelly. O terceiro é apontado como receptador dos produtos roubados.

Relembre o caso:

O assassinato da radiologista e vendedora mineira Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, é mais um caso de violência contra a mulher que entra para as estatísticas de feminicídio no Brasil. Desaparecida desde o final da tarde da última quarta-feira (01), ela havia combinado com um casal, em um grupo de caronas no WhatsApp, oferecer uma viagem de Guapiaçu, no interior de São Paulo, com destino a Itagagipe em Minas Gerais - onde visitaria o namorado, o engenheiro civil Marcos Antônio da Silva.

Segundo a Polícia Civil, informações preliminares dão conta que Kelly teria acertado carona a um casal e de última hora uma mulher teria desistido da viagem e ela seguiu apenas com o homem.

*Com informações do UOL Notícias

Mais Lidas