Transporte coletivo

Rodoviários da Cidade Alta voltam ao trabalho após manhã de protesto

Com o fim do protesto, os ônibus começaram a sair da garagem por volta das 12h10

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 07/11/2017 às 13:44
Leitura:

Imagem

Após quase 10 horas de paralisação, os motoristas e cobradores da Cidade Alta voltaram a circular com os coletivos. O protesto, realizado na manhã desta terça-feira (7), afetou a vida de 212 mil passageiros que utilizam as linhas da empresa, que foram, em parte, supridas pelos ônibus do Consórcio Conorte. Os trabalhadores se concentraram na garagem da Cidade Alta, que fica no bairro de Rio Doce, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

ntre as reivindicações da categoria, estão a revisão da escala de trabalho, o atraso de salários e o desconto do salário dos cobradores em caso de assaltos com roubo de renda maior que R$ 80 ou em casos de passageiros que não pagam a passagem. Segundo eles, tudo isso está sendo praticado pela empresa. Até as 10h, apenas sete coletivos, dos 207 da Cidade Alta, haviam saído da garagem.

Almir Buonora, diretor executivo da empresa Cidade Alta, que opera as linhas de ônibus em conjunto com o Consórcio Conorte, afirma que a paralisação dos rodoviários da empresa foi ilegal. "As reivindicações são todas ilegais. Ontem (6), realizamos o pagamento referente ao mês de outubro, que está dentro do prazo", explicou. De acordo com ele, não se tem comprovação sobre os descontos por causa dos roubos no salário dos cobradores. "Estou com os contra-cheques e essa afirmação é mentirosa. Nenhum desconto é feito no salário de ninguém". Apesar disto, os funcionários alegam que, no contra-cheque, há um "desconto de empréstimo" no valor de R$ 80. Além disso, Almir explica que as escalas são feitas de forma justa e legal para os trabalhadores.

O assessor do Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco, Genildo Pereira, informou que a paralisação foi realizada por integrantes da Arbirpe (Associação dos Benefícios Independentes dos Rodoviários de Pernambuco), mas que ainda segundo o assessor, não possui autonomia para paralisar nenhuma parcela dos rodoviários. Ele ainda ratifica que o sindicato não tem nenhuma relação com a paralisação.

Áreas afetadas

No total, a rodoviária opera 31 linhas que atendem aos bairros de Rio Doce, Jardim Atlântico, Casa Caiada, Bairro Novo, Carmo, Varadouro, Janga, em Olinda. Pau Amarelo, Maria Farinha, Loteamento Conceição, Jardim Maranguape, Maranguape I, Maranguape II, Santo Amaro, Arthur Lundgren, Engenho Maranguape, na cidade de Paulita. O único bairro afetado do Recife é o Sítio dos Pintos, na Zona Norte do Recife.

Grande Recife

Por telefone, o Grande Recife Consórcio de Transporte informou à Rádio Jornal que foi surpreendido com a paralisação da Cidade Alta que faz parte do consórcio Conorte. Segundo a assessoria de imprensa, a paralisação é politica e portanto sem representatividade do sindicato.

Mais Lidas