PROTESTO

Dia Nacional de Paralisação protesta contra reforma trabalhista

A Reforma Trabalhista, aprovada em julho deste ano, entra em vigor neste sábado (11) sob protesto de centrais sindicais e várias categorias

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 10/11/2017 às 7:01
Leitura:

Imagem

A Praça do Derby, na área central do Recife, será o ponto de encontro dos manifestantes nesta sexta-feira (10), no ato intitulado de Dia Nacional de Paralisação. A concentração teve início às 9h e os manifestantes já saíram em passeata em direção à Superintendência Regional do Trabalho, no bairro do Espinheiro.

O protesto ocorre um dia antes da implantação da Reforma Trabalhista, aprovada pelo governo Michel Temer no último dia 11 de julho. A mobilização será realizada em vários cantos do país, com greve setoriais, caminhadas e outras atividades.

No Recife, os bancários vão realizar um ato logo mais, as oito e meia da manhã, na agência da Caixa Econômica Federal, na Ilha do Leite.

Outras categorias, como os rodoviários e metroviários, informaram que a princípio não iriam paralisar os serviços.

Imagem

Na frente da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, no Espinheiro, na Zona Norte do Recife, será realizada uma manifestação. O protesto é contra as mais de cem mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) que entram em vigor neste sábado (11).

Mudanças

Entre as mudanças criticadas pelo órgão está a criação do trabalho intermitente, onde os trabalhadores podem ser contratados por jornada ou hora de serviço. Há ainda as férias parceladas em três vezes, o banco de horas negociado individualmente e a demissão em comum acordo.

Paulo Rocha, diretor geral da Central Única dos Trabalhadores Pernambuco (CUT-PE) critica a reforma. “É importante a participação de todos (...) Muita gente vai perder direitos, vai ter que trabalhar uma jornada de trabalho maior”, comentou.

Mais Lidas