Santa Cruz

Após 7 anos, Constantino Júnior vai deixar o Santa Cruz em 2018

"É um desgaste pessoal muito grande, de abdicação da própria família. De cabeça fria, até me arrependo de algumas coisas", disse Constantino

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 13/11/2017 às 11:54
Leitura:
Por Diego Toscano

Imagem

Depois de sete anos, o maior vencedor entre os diretores de futebol de Pernambuco na última década vai deixar o comando do Santa Cruz. Em entrevista ao JC, Constantino Júnior (Tininho) confirmou que, a partir de 2018, independentemente do resultado da eleição de dezembro, não estará mais ligado à cúpula coral. Um novo marco para o Santa, rebaixado matematicamente sábado, após a derrota para o Boa Esporte.

“É um desgaste pessoal muito grande, de abdicação da própria família. De cabeça fria, até me arrependo de algumas coisas. Às vezes, não conheci limites e me dei demais, movido pela paixão. Não é fácil tocar um clube com as dificuldades que tem o Santa. Foi um ano muito duro. Passei dois meses e meio sem ir no Arruda (problema de saúde), e o clube acabou desandando. Agora, preciso cuidar um pouca da minha vida e família e ter mais tranquilidade”, explicou Constantino.

Após uma passagem apagada em 2008, com o rebaixamento para a Série D na gestão Edinho, Tininho, como é conhecido, voltou a ser diretor de futebol do clube em 2010. Em sete temporadas, sete títulos: cinco Estaduais (2011, 2012, 2013, 2015 e 2016), uma Série C (2013) uma Copa do Nordeste (2016), além de três acessos (2011, 2013 e 2015) e dois rebaixamentos (2016 e 2017).

“Me despeço com muito mais alegrias do que tristezas. Partimos praticamente do zero. Claro que o momento agora não é bom e parece que tudo deu errado. Mas se colocar na balança, foram muitas faixas e campanhas especiais. Foi uma honra muito grande poder defender essas cores. Levo muita coisa, e não só dentro de campo. A amizade e o respeito das pessoas também contam muito. Aprendi demais. Foi uma escola para mim. Chegamos num momento muito difícil, quando o time estava fora até da Série D. O clube evoluiu muito e certamente está bem melhor”, afirmou Tininho, que em janeiro deve fazer um curso em Portugal, indicação do técnico Milton Mendes, de gestão de futebol.

Situação financeira

Alírio e Tininho tiveram uma segunda metade de mandato com muitas complicações financeiras. E isso afetou diretamente os resultados dentro de campo. Hoje, o Santa deve quase três meses de salários ao atual elenco.“Vamos esclarecer quanto recebemos, o que foi pago e quanto dos recursos pessoais foram colocados na gestão”, disse Alírio.

Mais Lidas