JUSTIÇA

Família de Beatriz Mota cobra, mais uma vez, respostas para o crime

Os familiares da menina Beatriz Mota, 7 anos, foram recebidos por representantes do governo e da equipe de segurança estadual

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 13/11/2017 às 15:17
Leitura:

Imagem

A família da garota Beatriz Mota, de 7 anos, morta em dezembro de 2015, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, foi recebida na tarde desta segunda-feira (13) por representantes do Governo do Estado. Participam do encontro a mãe, o pai, a irmã, a madrinha e uma amiga dos familiares da criança, além do advogado da família. Eles estão reunidos no Palácio do Campo das Princesas com o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, o chefe da Polícia Civil, Joselito Amaral, além do secretário-executivo da Casa Civil, Marcelo Canuto, e delegada Gleide Ângelo.

O encontro teve início às 13h30 e não há previsão de término. A família de Beatriz Mota, que veio de Petrolina, está disposta a cobrar da polícia os esclarecimentos.

Apesar da intensa mobilização da família em frente ao Palácio do Campo das Princesas antes do início do encontro o movimento é tranquilo no local.

Imagem

O caso já vai completar dois anos e, até agora, nenhuma resposta concreta sobre o paradeiro de quem matou a menina com requintes de crueldade foi dada.

Leia também

Mãe da menina Beatriz faz greve de fome em protesto nesta segunda

Caso Beatriz: mãe de menina morta em Petrolina volta a cobrar respostas de Paulo Câmara

Gleide Ângelo faz apelo para identificar assassino de Beatriz

Antes de matar Beatriz Mota, suspeito abordou outras duas crianças

Recompensa de até R$ 10 mil por informação do caso Beatriz é reforçada

Confira os detalhes no flash de Rossini Gomes:

Relembre o caso

Beatriz foi encontrada morta no dia 10 de dezembro em 2015 em um depósito de uma escola particular, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. A menina foi assassinada com mais de 30 facadas.

O crime ganhou repercussão nacional e mobilizou a população que também busca esclarecimentos do assassinato.

Mais Lidas