Curador da 'Queermuseu' tem condução coercitiva autorizada por ministro do STF

Alexandre de Moraes autorizou condução coercitiva do curador Gaudêncio Fidélis, da exposição Queermuseu

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 19/11/2017 às 16:44
Leitura:

Imagem

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, autorizou a condução coercitiva de Gaudêncio Fidélis, curador da exposição 'Queermuseu'. A defesa de Gaudêncio afirmou que a CPI dos Maus-Tratos, que solicitou a condução do curador, não poderia interferir em sua liberdade de locomoção, mas teve o pedido negado.

Com isso, o curador da exposição será levado a depor a força caso se recuse a ir ao Senado. Mesmo assim, Gaudêncio já informou que pretende comparecer à CPI.

Queermuseu é alvo de polêmica

Imagem

Após protestos de grupos conservadores, sobretudo do Movimento Brasil Livre (MBL), o Santander Cultural de Porto Alegre cancelou a exposição “Queermuseu – cartografias da diferença na arte da brasileira”, no último mês de setembro. A mostra deveria ficar em cartaz até o começo de outubro. Mas, diante da pressão, a instituição resolveu fechar a exposição no último domingo.

O Santander divulgou nota oficial sobre o cancelamento. “Entendemos que algumas das obras da exposição Queermuseu desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo”, justifica a nota. Mas a decisão acabou acendendo a fúria dos dois lados.

Mais Lidas