Televisão

Novela da Record tem igreja satânica parecida com a Católica e público protesta

A novela bíblica "Apocalipse" teve seu segundo capítulo exibido nessa quarta-feira (22) e gerou críticas do público católico

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 23/11/2017 às 8:38
Leitura:

Imagem

A TV Record exibiu na noite dessa quarta-feira (22) o segundo capítulo da novela bíblica "Apocalipse" e gerou críticas dos telespectadores católicos. Isso porque a trama exibiu cenas da igreja satânica que abriga o falso profeta da narrativa bíblica e o público viu semelhanças na liturgia da igreja fictícia com a Igreja Católica.

Na sequência em questão, a novela da emissora ligada à Igreja Universal mostrou personagens que vestiam roupas parecidas com a do Papa Francisco e dos cardeais de Roma, ao som da seguinte narração: "Bem-vindo à Igreja da Sagrada Luz. São quase 1.700 anos espalhando as trevas pelo mundo afora, mas, é claro, tudo muito bem elaborado para parecer divino. O engano é a minha especialidade".

O nome da Igreja Católica não é citado, mas isso foi o suficiente para que os católicos manifestassem suas críticas contra a emissora nas redes sociais.

Igreja fictícia

A Record alega que a igreja abordada na novela é uma "igreja fictícia romana", a Igreja da Sagrada Luz, liderada por Stefano Nicolazi (Flávio Galvão). O personagem é mentor espiritual da família de onde virá o Anticristo, segundo aparece na narrativa bíblica.

Em contraponto a este personagem, a novela também traz o ator Zé Carlos Machado vivendo um pastor evangélico 'do bem', que alerta os fiés da igreja de Roma.

Confira a repercussão do capítulo nas redes sociais:

Mais Lidas