FEMINICÍDIO

Sob revolta, corpo de mulher incendiada pelo ex-marido é sepultado

A mulher teve 50% do corpo queimado pelo ex-marido e passou mais de 10 dias internada no Hospital da Restauração, onde morreu após parada respiratória

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 24/11/2017 às 18:19
Leitura:

Imagem

Marcado pela revolta, o sepultamento do corpo de Mirela dos Santos, de 26 anos, aconteceu nesta sexta-feira sob clima de protesto. Ela foi morreu após ter 50% do corpo incendiado pelo ex-companheiro, que não aceita o relacionamento. Familiares cobraram ações das autoridades a respeito do crime. O suspeito permanece foragido.

Vestidos de branco e sob forte comoção, familiares pediram intervenção urgente no caso. “A gente vê Gleide Ângelo, que é mais famosa aqui, que é a que resolve realmente os casos. Queria muito que ela pegasse esse caso, eu gostaria. Porque não pode ficar impune não”, contou um familiar da vítima, que não quis se identificar por medo de represálias.

Uma ex-companheira do suspeito de cometer o crime, que não quis se identificar, conta que ele era violento e que já havia tentado cometer feminicídio contra ela. “Foram sete anos de relação. Os cinco anos foram de uma relação bem calma, mas os dois últimos anos foram de uma relação que envolvia agressão física, agressão verbal, até o fim do relacionamento. Em março de 2011, no dia 15, ele foi no meu trabalho entre 10h e 11h da manhã e foi quando houve a tentativa de homicídio”.

Os detalhes no flash de Leopoldo Monteiro:

Relembre o caso

Mirela teve mais de 50% do corpo queimado com gasolina por seu ex-companheiro, no dia 8 de novembro, e morreu nessa quinta-feira (23) após uma parada respiratória.

A motivação do crime se deu pelo ex-marido não aceitar o fim do relacionamento. A vítima deixa dois filhos, um menino de quatro anos e uma menina de sete anos.

Mais Lidas