Recife

Advogada morta em acidente na Tamarineira recebe homenagens de amigos

Advogada Maria Emília Guimarães era servidora pública e trabalhava no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE)

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 27/11/2017 às 15:33
Leitura:

Imagem

A chefe da advogada Maria Emília Guimarães, uma das vítimas mortas na colisão entre veículos que deixou dois mortos na noite desse domingo (26), falou com repórteres na tarde desta segunda-feira (27) e contou como os amigos receberam a notícia da morte de Maria Emília, que tinha 39 anos de idade.

Lúcia Araruna, que é chefe da Diretoria Cível do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), contou como foi o sentimento no local de trabalho nesta manhã: "Difícil você voltar para o seu local de trabalho, esperando encontrar todos, e já ter essa notícia tão impactante". Lúcia falou ainda de uma homenagem que os colegas fizeram para Maria Emília: "Os que souberam de ontem de noite providenciaram flores e uma vela para colocar no local de trabalho dela, como momento de prestar uma solidariedade, demonstrar seu amor e carinho".

A chefe da advogada falou também como era Maria Emília em sua atuação profissional e na relação pessoal com os colegas de trabalho: "Uma pessoa alegre, leve comprometida... Aqui a direotia está praticamente em peso, para prestar homenagem a uma colega querida".

Confira o vídeo:

O acidente

O acidente que matou Maria Emília e a babá da família, Roseane Maria de Brito, aconteceu por volta das 19h30 do domingo. Além das duas mulheres, o marido de Maria Emília e os dois filhos do casal também ficaram gravemente feridos.

De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital da Restauração, o estado de saúde da pequena Marcela Guimarães Motta Silveira, de cinco anos, é grave. Segundo familiares, a criança foi submetida a uma cirurgia e foi transferida para o Hospital Santa Joana, no bairro das Graças.

O outro filho do casal, Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, de três anos, também passou por cirurgia, mas o estado de saúde não foi informado. O pai da família, Miguel Filho Motta SIlveira, 46, que dirigia o carro, teve deslocamento de baço e várias costelas quebradas. Ele foi submetido a duas cirurgias e permanece internado.

O carro onde os cinco estavam capotou após ser atingido por um veículo dirigido pelo estudante de Engenharia Civil, João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos. De acordo com as investigações, João Victor estava sob efeito de álcool no momento da colisão.

Prisão preventiva:

Em audiência de custódia, realizada no fim da manhã desta segunda-feira (27), a Justiça decidiu pela decretação da prisão preventiva do estudante universitário João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, por duplo homicídio doloso e três lesões gravíssimas após o acidente provocado por ele no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife, na noite desse domingo (26). o Advogado de João abandonou o caso devido à gravidade, e o jovem deve seguir ainda nesta tarde para o Centro de Triagem e Observação Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

*Com informações do JC Online

Mais Lidas