ACIDENTE TAMARINEIRA

"É um rapaz espetacular", diz pai de jovem que causou acidente na Tamarineira

O pai do de João Victor, que causou a morte de 3 pessoas no último domingo após ultrapassar um sinal vermelho enquanto dirigia alcoolizado, afirmou que o filho é doente

Rádio Jornal Rádio Jornal
Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 30/11/2017 às 1:35
Leitura:

Imagem

O empresário Bruno de Oliveira, pai de João Victor Ribeiro de Oliveira Cabral, de 25 anos, disse que a família está muito abalada com o que aconteceu, mas tentou justificar os atos do filho, apesar dele ter provocado um acidente que resultou na morte de três pessoas: Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, de 3 anos, Maria Emília Guimarães da Motta Silveira, de 39 e a babá Roseane Maria de Brito Souza, que estava grávida. "O meu filho, ele não é a pessoa que está se pintando aí. Ele é um menino de 25 anos, normal, igual a qualquer um que se envolveu em drogas", disse Bruno.

Luto

A capital pernambucana ainda está de luto pela morte das vítimas do ato provocado pelo jovem João Victor Ribeiro. Ele causou um grave acidente após ultrapassar um sinal vermelho enquanto dirigia com um nível de álcool altíssimo, três vezes maior que o permitido. Ao fazer o teste do bafômetro identificou-se 1,03 miligramas de álcool por litro de sangue, quando o permitido é até 0,33 mg. Depois do acidente, João Victor disse que "não se lembrava de nada", ele teve a prisão preventiva decretada ainda na segunda-feira (27), poucas horas depois do acidente.

"Meu julgamento é que meu filho, ele errou, mas como eu tenho conhecimento da doença que ele tem, eu sei que também ele não fez por querer nenhum minuto", argumentou o pai de João Victor.

Imagem

Bruno não poupa adjetivos ao descrever o filho: "é um rapaz espetacular, atencioso, (fala emocionado) carinhoso, prestativo, caridoso, inteligente, cheio de vida, incapaz de fazer mal a qualquer pessoa".

Confira no vídeo o relato do pai de João Victor

Leia também:

>> Estudante que matou três em acidente vai responder por outros crimes

>> Motorista que matou duas pessoas em acidente tem histórico de imprudências no trânsito

Perdão

Por fim, Bruno pede perdão à família das vítimas, diz que está "sofrendo por ele (Miguel Arruda da Motta Silveira Filho) e pela família dele e diz que em momento nenhum "queria que isso tivesse acontecido".

Estado de saúde

Miguel Arruda Filho, acordou do coma induzido nesta quarta-feira (29) e descobriu que a esposa e o filho mais novo morreram, mas que a filha Marcela Guimarães da Motta Silveira, de 5 anos, sobreviveu. Miguel tem quadro clínico considerado bom e a filha, que passou por uma cirurgia na cabeça na noite desta terça-feira (28), tem expectativa de melhora por parte dos médicos.

Na noite de domingo morreram a advogada Maria Emília Guimarães e a babá da família, Rose Maria de Brito, que tinha 23 anos e estava grávida de três meses. O filho mais novo de Maria Emília, de apenas 3 anos de idade, ficou gravemente ferido e ainda chegou a ser hospitalizado, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na tarde da segunda. Os corpos da mãe e do filho foram sepultados sob forte emoção de parentes e amigos, no cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

O corpo da babá foi sepultado depois de um cortejo na cidade de Aliança, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Durante o velório, muita gente se emocionou porque o filho mais novo de Rose Maria, de 3 anos, pedia o tempo inteiro que a mãe acordasse.

Mais Lidas