TRAGÉDIA

Advogado pede internamento de motorista responsável por acidente na Tamarineira

João Victor Ribeiro está preso no Cotel, em Abreu e Lima. Ele foi responsável pelo acidente que deixou três pessoas mortas e duas gravemente feridas

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 01/12/2017 às 14:56
Leitura:

Imagem

A defesa do estudante universitário João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, motorista que causou o grave acidente no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife, solicitou na justiça o internamento em uma clínica de reabilitação do jovem. A expectativa do advogado é de que o jovem seja liberado ainda nesta sexta-feira (1º) para uma clínica de reabilitação.

Por telefone, a assessoria do Tribunal de Justiça informou que o advogado apresentou petição, mas ainda não foi analisado. A petição está na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital e o Juiz é Ernesto Bezerra Cavalcanti.

Depoimentos

Testemunhas estiveram presentes na manhã desta sexta-feira na Delegacia de Delitos de Trânsito, no bairro da Iputinga, na Zona Oeste do Recife. O primeiro a prestar depoimento para o delegado Paulo Jean foi o médico que atendeu João Victor na UPA da Caxangá, onde o estudante foi atendido logo após o acidente para detalhar o nível de alcoolemia em que o jovem chegou na unidade e o atendimento.

Confira os detalhes na reportagem de Jessica Lima:

Em seguida, o pai do estudante, Bruno Leal, e um garçom do Auto Bar, local onde João Victor esteve momentos antes do acidente. O advogado dele, Emanuel Marcos, justifica o pedido da liberado para uma clínica de reabilitação. “O pedido é simplesmente para o tratamento dele”, disse.

O advogado Emanuel Marcos afirma que ele não tem condições de prestar depoimento e lamenta o ocorrido. “O depoimento ele pretende colaborar o que for possível, embora ele não esteja em condições de depor, porque ele está muito debilitado”, comentou.

Os detalhes na reportagem de Jessica Lima:

Relembre o caso

João Victor é o responsável pela colisão entre dois veículos no último domingo (26), que matou três pessoas e feriu outras duas. Ele estava embriagado e cruzou o sinal vermelho a mais de 100km/h.

Morreram no acidente Maria Emília Guimarães, de 39 anos, Miguel Neto, 3 anos, e a babá, Roseane Maria de Brito, 23 anos, que estava grávida de três meses. O pai das crianças, Miguel Filho Motta, de 46 anos, e a filha dele Marcela Motta seguem internados no Hospital Santa Joana. Eles apresentaram melhora no estado de saúde.

Imagem

O estudante universitário teve ferimentos leves e foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá, na Zona Oeste do Recife, onde fez teste de alcoolemia, que apontou 1,03 mg de álcool por litro de sangue. Pela lei brasileira, o máximo permitido é de 0,05 mg de álcool por litro de sangue. Victor foi levado para a Central de Plantão da Capital. Ele aguarda julgamento no Cotel, em Abreu e Lima.

Ele teve a prisão preventiva decretada após audiência de custódia realizada na manhã desta segunda-feira (27). Victor estava embriagado no momento do acidente e por isso foi acusado de triplo homicídio com dolo eventual, quando não há a intenção de matar mas o risco é assumido, mais duas lesões gravíssimas.

Mais Lidas