TAMARINEIRA

Estado de saúde de vítimas de acidente de trânsito permanece estável

Miguel Motta e a filha Marcela Motta estão internados em um hospital particular do Recife se recuperando do trágico acidente de trânsito na Tamarineira

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 04/12/2017 às 17:43
Leitura:

Imagem

Em novo boletim divulgado nesta segunda-feira (4), a situação de Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, 46, e da filha dele, Marcela Guimarães da Motta Silveira, 5 anos, é estável. A menina, no entanto, ainda está em coma e respira com a ajuda de aparelhos. Já o advogado está consciente, orientado e respira sem suportes.

Miguel e Marcela se recuperam de um acidente de trânsito ocorrido no dia 26 de novembro, em que três pessoas morreram. A tragédia foi causada por João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, que dirigia embriagado e em alta velocidade quando colidiu com o veículo que transportava cinco pessoas, 4 da mesma família, no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife.

Leia também

Estudante que matou três em acidente vai responder por outros crimes

Eles estão no hospital por um irresponsável, diz babá de crianças vítimas de acidente

Motorista que matou duas pessoas em acidente tem histórico de imprudências no trânsito

Tristeza e indignação marcam velório de vítima de acidente na Tamarineira

João Victor foi autuado por triplo homicídio com dolo eventual, quando não há intenção de matar mas o risco é assumido, mais duas lesões corporais graves.

Entenda o caso

João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, é o responsável pela colisão entre dois veículos no último domingo (26), que matou três pessoas e feriu outras duas. Ele estava embriagado e cruzou o sinal vermelho a mais de 100km/h.

Morreram no acidente Maria Emília Guimarães, de 39 anos, Miguel Neto, 3 anos, e a babá, Roseane Maria de Brito, 23 anos, que estava grávida de três meses. O pai das crianças, Miguel Filho Motta, de 46 anos, e a filha dele Marcela Motta seguem internados no Hospital Santa Joana. Eles apresentaram melhora no estado de saúde.

O estudante universitário teve ferimentos leves e foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá, na Zona Oeste do Recife, onde fez teste de alcoolemia, que apontou 1,03 mg de álcool por litro de sangue. Pela lei brasileira, o máximo permitido é de 0,05 mg de álcool por litro de sangue. Victor foi levado para a Central de Plantão da Capital.

Ele aguarda julgamento no Cotel, em Abreu e Lima. Ele teve a prisão preventiva decretada após audiência de custódia realizada na manhã seguinte ao acidente.

Mais Lidas